segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Baixas

As cruzes de Mariquinha , Sofreu e Pé-de-Peba

Por João de Sousa Lima     


Dia 16 de setembro de 2013, eu e Felipe Marques saímos de Paulo Afonso em direção a Jeremoabo e de lá, já na companhia de Antonio Fernandes, nos dirigimos até a cidade de Coronel João Sá, onde nos encontramos com o professor Enoque Cardoso e Antonio Vieira, dois amigos que nos auxiliaram em uma pesquisa sobre o cangaço apresentando pessoas e lugares que tiveram ligações com a história. Dentre as várias entrevistas estivemos com Laurinda  da Cruz de Jesus e podemos ouvir dela o relato da morte dos cangaceiros Mariquinha, Pé de Peba e Xofreu ( ou também chamado de Chofreu e Sofreu). 

As cabeças dos cangaceiros foram levadas do local da morte no lombo de uma jumenta que pertencia a Maria da Cruz Gouveia, que era mãe de Laurinda. A jumenta estava com poucos dias de parida. A cangaceira Mariquinha foi uma das primeiras mulheres a entrar no grupo de cangaceiros. Ela era prima de Maria Bonita, irmã de Zé de Nenê. Mariquinha seguiu com o cangaceiro Ângelo Roque, o famoso Labareda.
    
 A equipe: Antônio Vieira, Prof. Enoque, João de Sousa
e Felipe Marques.
 
Os cangaceiros foram cercados ao anoitecer pela volante do nazareno Odilon Flor. Um dos soldados que estava presente nesse combate ainda encontra-se vivo em Paulo Afonso, é o cabo Gérson Pionório. A seguir o relato que ele fez do combate:
 
Gerson Pionório Freire
- Eu destaquei em Jeremoabo, Canindé, Canudos (fui delegado), Pilão Arcado, Sento Sé, Remanso, Sobradinho, Casa Nova, Senhor do Bonfim, Juazeiro, Napele, Tucano, Calda de Cipó, Urucí, Itabuna, Canavieiras, Canacá, Jacareci (fui delegado), Euclides da Cunha (fui comandante), e Cocorobó (fui delegado).Gérson passou pelas volantes de Pedro Aprígio, Aníbal Vicente, Zé Rufino e Odilon Flor.
Quando serviu com Odilon Flor, participou do combate onde foram mortos os cangaceiros Pé-de-Peba, Xofreu e Mariquinha. O combate aconteceu no Riacho do Negro, em Sergipe.
A volante seguiu com o coiteiro nos rastros dos cangaceiros indo encontrá-los às 23hs. O combate noturno travado entre 15 policiais e 8 cangaceiros foi ferrenho. Odilon Flor saiu baleado nas nádegas, os cangaceiros tiveram uma baixa de tres componentes do grupo. Os policiais cortaram as cabeças e ainda à noite as colocaram em um carro de boi e levaram pra Paripiranga. Na cidade, a população pode ver as cabeças de Pé-de-Peba, Xofreu e Mariquinha. 
Da residência de dona Laurinda da Cruz, depois de saborearmos um doce de leite, partimos para conhecer o local das mortes dos cangaceiros. Com o sol já se pondo fizemos uma viagem contra o tempo. O local da morte dos cangaceiros fica na localidade conhecida por Serrote e pertence ao município de Sítio do Quinto, BA. Atravessamos muitas porteiras até encontrarmos com  o fazendeiro Gervásio de Carvalho Filho, que vinha montado em seu cavalo. Conversamos um pouco com Gervásio e seguimos o trajeto, tendo ainda que abrir várias porteiras e o sol cada vez mais sumindo no horizonte.

Enoque, João, Laurinda Cruz, Toinho e Vieira.

Chegamos até a última casa da região, propriedade de José Alves da Costa, conhecido por Zé de Loló. Sem ele não teríamos conseguido chegar até as cruzes. Convidamos Zé e ele seguiu no carro com a equipe enquanto Enoque e  Vieira seguiram andando. Deixamos o carro em um ponto e subimos o “Serrote”.


Casa do lavrador Zé de Loló.

Eu, Antonio de Juvininho, Felipe Marques e Zé de Loló chegamos até o local. Transpusemos uma cerca de arame farpado e Zé de Loló saiu abrindo uma trincheira, quebrando mato, desfazendo um emaranhado de cipós secos que fechava o caminho. Aos poucos fomos chegando, o sol baixando. Conseguimos fotografar o local e as cruzes. Mais um mistério estava desvendado, as cruzes de Mariquinha, Xofreu e Pé de Peba surgiram para a história.


O vaqueiro Gervásio indica o lugar das cruzes.

Nos preparamos para retornar pois a noite não demoraria a chegar. Pulamos a cerca de volta e descemos a serra. Ao longe ouvimos as vozes de Enoque e Vieira. Dirigimo-nos até o carro. Encontramos Enoque com uma vara na mão, pois acabara de ser atacado por uma raposa e a "arma" encontrada no chão serviu de defesa.


Eis aí as cruzes do povo de Ângelo Roque.
Notem  o erro na identificação do cabra Pé-de-Peba

Colocamos Enoque na mala do  veículo e retornamos. Deixamos Zé de Loló em sua casa onde ele vive solitário e pegamos a estrada de volta. Várias cancelas depois chegamos até o povoado mais próximo. Nesse povoado fomos ver a capela onde estão sepultados alguns sertanejos que foram mortos por Ângelo Roque como vingança as mortes dos seus companheiros cangaceiros. Estão enterrados na capela os senhores: Olegário, Antonio e Constâncio. Seguindo essa vingança o Ângelo Roque ainda matou a senhora Jovina que estava grávida de gêmeos. Jovina residia na localidade Logradouro e era prima do cangaceiro "Saracura".
Naquele intrincado e longínquo pedaço de chão baiano, a história deixou marcas profundas, marcas de um tempo que o povo ainda tenta entender. Tempo que tem sua compreensão fundamentada nas cruzes erigidas em lembrança de alguns cangaceiros e de sertanejos que viram suas vidas envolvidas na história do cangaço.

João de Sousa Lima
Historiador e escritor
Membro da ALPA – Academia de Letras de Paulo Afonso.
Membro de GECC – Grupo de Estudos do Cangaço do Ceará.
Paulo Afonso, 27 de setembro de 2013.
                   
Veja mais em www.joaodesousalima.com

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Trouxe lá do Cariri

Conheça a história de Aurora, (CE) através da linhas de João Tavares Calixto Jr.


Um trabalho de cerca de dois anos de pesquisa, para um resultado documentado da história do município de Aurora. Importantes momentos são contados no livro "Venda Grande D´Aurora", do professor João Tavares Calixto Júnior. O autor é natural da cidade e pretende, com o livro de 300 páginas, deixar para os pesquisadores e estudantes uma fonte que mereceu um trabalho exaustivo.
A descrição de grandes acontecimentos de forma exaustiva, como a invasão da cidade por cangaceiros, promovendo uma verdadeira carnificina e a morte de grandes personalidades, como o da mártir Francisca, venerada por uma grande parcela da população como santa, estão descritos no trabalho. Os assassinatos que repercutiram e marcam a história da cidade, em alguns casos, têm até registros dos processos.
O autor destaca a importância de levar às novas gerações os registros dos principais acontecimentos, no sentido de contribuir para engrandecer a cidade. "Quero deixar essa mensagem, de que não precisamos ficar no ostracismo", afirma. Resgatar essas passagens históricas, muitas vezes fez o autor se deslocar para outras cidades, à procura de documentos. "Um mergulhar nos acervos para resgatar, de forma mais abalizada, todo o processo de construção da cidade e suas grandes personalidades", diz o escritor.

O livro, segundo ele, traz os principais apanhados históricos da cidade, de forma cronológica, desde a data da concessão da 1ª sesmaria, de 1702, até o ano da comemoração do primeiro centenário do município, em 1983. O trabalho, enfatiza o professor, é um traçado baseado em documentos histórico. "É um livro científico, em que se pretende trazer questões, não dentro de um registro oral ou apenas voltado ao aspecto folclórico, misticismo ou populismo", explica. Para João Calixto, Aurora é um município que contribuiu em vários segmentos para o cenário cearense e mundial, com as atividades do seus filhos ilustres, e tem a história contada de forma fragmentada.

A morte do filho de Bárbara de Alencar, padre Carlos José dos Santos Alencar, aconteceu em uma área que hoje é território do município de Aurora, no Sítio Serra dos Macacos. A hecatombe de 1908, conhecida como uma das maiores tragédias do coronelismo em nível de Nordeste, foi registrada na cidade. Aurora foi invadida por 600 cangaceiros, onde houve uma verdadeira carnificina. Segundo o autor, os cangaceiros vieram a mando de diversos coronéis, que se juntaram com armamentos e homens para a derrubada do coronel de Aurora, Teixeira Neto, em virtude de uma vingança política provocada pela morte de um filho de Marica Macedo. Essa história era contada antes de forma fragmentada, conforme Calixto. Na obra, há a transcrição de muitos historiadores, mas de forma detalhada.

O livro também traz autos de inventários de diversas personalidades, autoridades antigas, os primeiros moradores, as atas das sessões da Câmara, os livros de tombo das paróquias, registros de batismos e casamentos. Todo esse material foi pesquisado, no intuito de se deter a uma análise da genealogia dos primeiros moradores do município.

Outro crime de repercussão detalhado no livro, além da morte da mártir Francisca, em 1958, conhecida como santa popular em Aurora, aconteceu em 1874, quando o padre Joaquim Machado da Silva foi acusado de assassinato na Vila das Lavras. Ele chegou a ser preso e condenado por tirar a vida de um homem, com um golpe de faca no peito. O assassinato está detalhado no livro, com base no processo original, encontrado no arquivo público do Estado. As páginas foram fotografadas, com transcrição para o livro. O lançamento contará com a presença de escritores, personalidades de Aurora, amigos familiares e entusiastas dessa história da cidade.

"Venda Grande D´Aurora", de João Tavares Calixto Júnior. Para adquirir este livro entre em contato com o autor através do email: joaojrbio@gmail.com ou dos fones (88) 3511-2430 / 9906 - 3789.

Resenha de Elizângela Santos
   
            

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Um breve recesso, para prestigiar o...

Cariri Cangaço, onde o Brasil de Alma Nordestina se Encontra ! 

Por: Manoel Severo


Uma grande festa. É com esse sentimento que estamos aguardando a todos os amigos, em nosso Cariri Cangaço 2013, a partir da próxima terça-feira, dia 17. Todos os preparativos estão sendo ultimados; equipes inteiras de profissionais qualificados dos municípios de; Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Missão Velha, Aurora, Barro e Porteiras; estão dando o melhor de si para receber você, que está vindo de todo o Brasil.

Foram horas intermináveis de planejamento, tudo foi pensado para oferecer a você, dentro das nossas limitações, o que de melhor temos em nosso Cariri do Ceará. Aqui não teremos apenas um conjunto de Conferências, Debates, Discussões, Aprofundamentos e Visitas Técnicas; aqui teremos um verdadeiro Encontro de Amigos, os vaqueiros da história, como costumava chamar, o velho e inesquecível Decano: Alcino Alves Costa, o Caipira de Poço Redondo, esse não estará conosco em corpo físico, mas certamente permanece entre nós em espírito e deverá vibrar a cada momento, a cada hora, a cada minuto...

O Cariri Cangaço é uma grande Construção Coletiva, a partir de sua Curadoria, seu Conselho Consultivo e o apoio da SBEC, do GECC e do GPEC, procura reunir a partir de uma programação plural e dinâmica, temas palpitantes e eternamente atuais. O zelo e o compromisso de todos os amigos é sem dúvida um ponto alto do evento, garantindo a qualidade e a credibilidade necessárias para sua consolidação como um dos maiores eventos do gênero, no Brasil.

O comprometimento e o trabalho sensacional dos municípios anfitriões, que não medem esforços para tornar o Cariri Cangaço inesquecível, merece um agradecimento especial. A todos os gestores que ao nosso lado acreditam que podemos realizar esse sonho, o nosso muito obrigado. As equipes dos amigos José Cícero, de Aurora; Sousa Neto, de Barro; George e Bosco André, de Missão Velha; Ticiano Linard, de Porteiras; Marli Bezerra, de Juazeiro do Norte; Sitõe Luna, de Barbalha; Dane de Jade, de Crato e Cristina Couto, de Lavras da Mangabeira, demonstraram mais uma vez força e um talento incomum, próprio do sertanejo nordestino que não se rende nunca ! Parabéns !

Agora, enquanto estamos finalizando os últimos detalhes do Cariri Cangaço 2013, você de todo o lugar desse Brasil gigante e fantástico, arrume sua mala e venha correndo se unir a essa grande família Cariri Cangaço, pode até parecer difícil chegar até aqui, mas difícil mesmo será nos deixar e não se comprometer para o resto de suas vidas ! Click no link abaixo, se ainda não conhece a programação oficial e venha para cá, estamos esperando você!

PROGRAMAÇÃO

Cariri Cangaço , onde o Brasil de Alma Nordestina se Encontra !

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Cangaço, Coronelismo, Messianismo, Cantadores, Secas...

... religiosidade, conflitos do nordeste Brasileiro... homi, tá tudo aí no balaio do Professor Pereira


Se você procura por livros usados ou novíssimos confira abaixo o catalogo "COMPLETO" e com "PREÇOS ATUALIZADOS" para Setembro de 2013. O frete registrado já está incluído no valor para qualquer canto do Brasil. Mas quem vai participar do Cariri Cangaço tem direito a um desconto de "10%".  Entonce Avia Macho!!! Peça agora que o professor lhe entrega em mãos.    

AUTOR                             TITULO                                  VALOR                                      OBS.
  1. A. Otaviano Vieira Jr. Entre Paredes e Bacamartes, história da família do sertão (1780-1850)   2004 316 pág. 40,00 Ótimo estado
  2. Abdon Monteiro de Lima Memórias de Um Vaqueiro Cearense 1982 153 pág. 28,00 Bom estado/envelhecido
  3. Abelardo F. Montenegro Fanáticos e Cangaceiros 2011 – Clássico 2ª Ed. 420 pág. 65,00 Novo /
  4. Abelardo F. Montenegro Os Partidos Políticos do Ceará 1980 257 pág. 20,00 Bom estado
  5. Abelardo F. Montenegro Ceará e o Profeta da Chuva 2008 356 pág. 40,00 Novo
  6. Adelaide Gonçalves Ceará socialista Anno 1919 (Ed. Fac-Similar) 120 pág. 30,00 Ótimo estado
  7. Aécio Villar de Aquino  Nordeste século XIX 1980 291 pág. 35,00 Bom estado
  8. Afonso D’Escragnolle Taunay A Guerra dos Bárbaros 3ª Ed. 2010 452 pag. 60,00 Novo
  9. Agamenon Magalhães  O Nordeste Brasileiro(1970)  1992 100 pag. 18,00 Bom estado manchas
  10. Aglae Lima de Oliveira Adriana: Vida de Uma Professora no Estado de Pernambuco no Tempo de Lampião 1985 194 pág. 55,00 Bom estado/capa dura envelhecida
  11. Aglae Lima de Oliveira Lampião, Cangaço e Nordeste 1970 436 pág. 150,00 Bom estado
  12. Aguinaldo Silva – Doc Comparato Padre Cícero- O Grande sucesso da TV 263 pag. 18,00 Bom estado
  13. Alcino Alves Costa Lampião Além da Versão, Mentiras e Mistérios de Angicos – 2011  Lançamento(3ª Ed.) 410 pág. 55,00 Novo
  14. Alcino Alves Costa Lampião Em Sergipe 2011 298 pág. 65,00 Novo
  15. Alcino Alves Costa Poço Redondo - A Saga de Um Povo 349 pág. 55,00 Novo
  16. Alcino Alves Costa Maria do Sertão. Romance que referencia a beleza, o sentimento e a coragem da mulher sertaneja 326 pág.  40,00 Novo
  17. Alcino Costa O Sertão de Lampião  55,00 Novo
  18. Aloysio Pereira Lima Cel. José Pereira Lima (Zé Pereira de Princesa) (Paraibanos do Século) 52 pág. 18,00 Bom estado
  19. Alvim Martins Horcades Descrição de Uma Viagem a Canudos 2011 186 pág. 45,00 Novo
  20. Amália X. de Oliveira O Padre Cícero Que Eu Conheci  45,00   Novo
  21. Ana Claudia Marques Intrigas e questões- Vingança de Família e Tramas sociais no Sertão de Pernambuco 2002 352 pág. 35,00 Ótimo estado
  22. Ana Cláudia Marques e outros Andarilhos e Cangaceiros 1999 233 pag.  40,00 Novo
  23. Ana Isabel de S. Andrade (org) O Arquivo José Américo e a Revolução de 1930
  24. Reprodução de cópias telegráficas, cartas e ofícios 223 pág. 40,00 Bom estado
  25. Ana Paula da Cruz Pereira de Moraes Em Busca da Liberdade, Os Escravos no Sertão do Rio Piranhas – PB  (1700-1750) 2011 158 pág. 30,00 Novo
  26. André Heráclio do Rego Família e Coronelismo no Brasil- Uma História de Poder  378 pag.  40,00 Ótimo estado
  27. Ângelo Osmiro Assim Era Lampião e Outras Histórias 236 pág. 35,00 Novo
  28. Anildomá Wilans de Souza Lampião, O comandante das Caatingas 157 pág. 50,00 Ótimo estado
  29. Antônio Amaury C. de Araújo Gente de Lampião – Sila e Zé Sereno  25,00 Ótimo estado
  30. Antônio Amaury C. de Araújo Lampião e as Cabeças Cortadas  60,00 Novo
  31. Antônio Amaury C. de Araújo Lampião, Segredos e Confidências do Tempo do Cangaço  3ª Ed. 2011 229 pág. 60,00 Novo
  32. Antônio Amaury C. de Araújo Maria Bonita, A Mulher de Lampião 2011 279 pág. 55,00 Novo
  33. Antônio Amaury C. de Araújo Lampião - As Mulheres e o Cangaço 2012 399 pág. 55,00 Novo
  34. Antônio Amaury C. de Araújo Gente de Lampião: Dadá e Corisco 2011 329 pág. 60,00 Novo 
  35. Antônio Amaury C. de Araújo Assim Morreu Lampião 1982 140 pág. 40,00 Bom estado
  36. Antônio Amaury C. de Araújo Assim Morreu Lampião – Nova Edição  2013 317 pág. 65,00 Novo
  37. Antônio Amaury e outro Lampião, Herói ou Bandido?  25,00 Novo
  38. Antônio Assis Costa - Tota Assis A Cajazeiras Que Eu Vi e Onde Vivi - 2013 3ª edição (Faz referência ao ataque de Sabino Gomes a Cajazeiras em 1926) 263 pág. 35,00 Novo
  39. Antônio Barroso pontes Reminiscências de Uma Caboclo Sertanejo 204 pag. 23,00 Bom estado
  40. Antônio Barroso Pontes O Mundo dos Coronéis   25,00 Bom estado/envelhecido
  41. Antônio Barroso Pontes Sertão Brabo – usos e costumas  1979 164 pág. 35,00 Bom estado
  42. Antônio Bezerra Algumas Origens do Ceará 2009 265 pág. 40,00 Ótimo estado
  43. Antônio Corrêa Sobrinho O Fim de Lampião, O que Disseram os Jornais Sergipanos 2011 166 pág.  33,00 Novo
  44. Antônio da Silva Neves A Seca de 1919  88 pág. 18,00 Bom estado
  45. Antônio Décio Pinto Coronel Zuza e a República da Estrela  30,00 Bom estado
  46. Antonio Nunes Malveira Notas Sobre as Secas  2001 84 pág. 25,00 Bom estado
  47. Antônio Nunes Malveira O Velho Sertão da Bica 1986 213 pág. 35,00 Bom estado c/carimbo
  48. Antônio Porfírio História de Frei Paulo(a morte de Zé Baiano) 279 pág. 35,00 Bom estado/
  49. Antônio Vilela de Souza O Incrível Mundo do Cangaço Vols. I e II  38,00 cada  Novo
  50. Antônio Vilela de Souza A outra Face do Cangaço 2012 – Soldado Adrião 102 pág. 28,00 Novo
  51. Archimedes Marques Lampião Contra o Mata Sete 2012 552 pág. 55,00 Novo
  52. Ariano Suassuna Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-volta  2012 754 pág. 55,00 Ótimo estado
  53. Aristides A. Milton A Campanha de Canudos 2010 153 pag. 30,00 Novo
  54. Armando Souto maior Quebra-Quilos, Lutas Sociais no Outono do Império 213 pag. 20,00 Ótimo estado
  55. Aroldo Ferreira Leão Lampião: Um estudo de buscas e essências 2012  700 pág. 75,00 Novo
  56. Arquivo Público do Estado do Ceará. Coleção Manuscritos A Confederação do Equador no Ceará. São manuscritos, Cartas, Ofícios, portarias da época do movimento  306 pág. 45,00 Ótimo estado
  57. Arthur Shaker Pelo Espaço do Cangaceiro, Jurubeba1979 173 pág. 35,00 Bom estado
  58. Assis Ângelo  Dicionário Gonzagueano de A a Z  28,00 Novo
  59. Assis Lemos Nordeste- Ligas Camponesas 1996 375 pag. 25,00 Bom estado
  60. Banco Safra O Museu do Homem do Nordeste 351 pág. 60,00 Ótimo estado
  61. Barbosa Lima Sobrinho Interesses e Problemas do Sertão Pernambucano 1937 (Livro raro) 55 pág. 80,00 Capa dura/miolo bom folhas amareladas
  62. Benedito Silva Padre Ibiapina  101 pág. 18,00 Novo (Bolso)
  63. Benedito Vasconcelos Mendes Reflexões Sobre o Nordeste 95 pag.  15,00 Novo
  64. Benjamin Abdala Jr. Canudos, Palavra de Deus, Sonho da terra 1997 160 pag. 35,00 Ótimo estado
  65. Billy Jaynes Chandler Os Feitosas e o Sertão dos Inhamuns 213 pág. 120,00 Bom estado
  66. Bismarck Martins de Oliveira Histórias do Cangaço - O Saque de Souza – PB em 1924 30,00 Novo
  67. Bismarck Martins de oliveira O Cangaceirismo no Nordeste 2002 329 pág. 40,00 Novo
  68. Bismarck Martins de Oliveira Cangaceiros de Lampião de A a Z  2012  35,00 Novo
  69. Caio Porfírio Carneiro Quando o Sertão Virou Mar 1986 75 pág. 18,00 Bom estado
  70. Caio Porfírio carneiro  Padre Cícero, O Santo do Agreste 2007 77 pág. 20,00 Ótimo estado
  71. Caio Porfírio Carneiro Uma Luz no Sertão 2007 125 pág. 28,00 Ótimo estado
  72. Câmara cascudo Livro das Velhas Figuras vol. VII 2002 260 pag. 35,00 Ótimo estado
  73. Câmara Cascudo História da Alimentação no Brasil  1968 539 pág. 40,00 Bom estado
  74. Câmara Cascudo Contos Tradicionais do Brasil 2001 349 pag. 30,00 Bom estado
  75. Câmara Cascudo Livro das Velhas Figuras vol. X  195 pag. 35,00 Ótimo estado
  76. Câmara Cascudo Prelúdio da Cachaça 1986 82 pag. 20,00 Ótimo estado
  77. Câmara Cascudo Rede de Dormir 2003 231 pag. 35,00  Novo
  78. Câmara Cascudo Superstição no Brasil 2002 443 pag. 35,00 Ótimo estado
  79. Câmara Cascudo Vaqueiro e Cantadores  2005 327 pag. 35,00 Ótimo estado
  80. Câmara Cascudo Viajando o Sertão 1984 61 pág. 12,00 Bom estado
  81. Câmara Cascudo Geografia dos Mitos Brasileiros 2002 396 pág. 40,00 Ótimo estado
  82. Câmara Cascudo Jangada, Uma Pesquisa Etnográfica 2002 170 pág. 30,00 Ótimo estado
  83. Câmara Cascudo Notas e Documentos Para a História de Mossoró 299 pág. 45,00 Ótimo estado
  84. Câmara Cascudo Tradições Populares da Pecuária Nordestina 90 pág. 40,00 Bom estado
  85. Câmara Cascudo História dos Nossos Gestos 2003 277 pág. 35,00 Ótimo estado
  86. Câmara cascudo Folclore do Brasil 2012 230 pág. 35,00 Ótimo estado
  87. Câmara Cascudo Literatura Oral no Brasil 1984 35,00 Ótimo estado
  88. Câmara Cascudo Locuções Tradicionais no Brasil + Coisas Que o Povo Diz 1986 315 pág. 40,00 Bom estado
  89. Câmara Cascudo Antologia do Folclore Brasileiro 2001 323 pág. 40,00 Ótimo estado
  90. Câmara Cascudo Lendas Brasileiras  2001 168 pág. 30,00 Ótimo estado
  91. Câmara Cascudo História da República no Rio Grande do Norte 1965 307 pág. 30,00 Bom estado de leitura Envelhecido/sem contracapa
  92. Câmara Cascudo Ontem (Maginações e Notas de um Professor de Província 1972 256 pág. 35,00 Bom estado/pequeno dano na capa
  93. Câmara Cascudo O Livro das Velhas Figuras Vol. VIII 2002 133 pág. 35,00 Ótimo estado
  94. Câmara Cascudo Histórias de Vaqueiros e Cantadores – para jovens 128 pág. 30,00 Ótimo estado
  95. Câmara Cascudo Flor de Romances Trágicos 189 pág. 40,00 Bom estado
  96. Carlos Lira Nunca Matei Ninguém - Chico Jararaca     90 pág. 30,00 Ótimo estado
  97. Carlos Newton Júnior O Cangaço na Poesia Brasileira 2009 254 pág. 40,00 Ótimo estado
  98. Carlos Noronha Cinco séculos do Rio Grande do Norte 2001 110 pág. 20,00 Ótimo estado
  99. Carlos Xavier Paes Barreto Primitivos Colonizadores Nordestinos 2010 396 pag. 65,00 Novo
  100. Catulo da Paixão Cearense Meu Sertão 205 pág. 30,00 Bom estado/envelhecido
  101. Celeste Cordeiro Antigo e Moderno no Ceará Provincial 1997 299 pag. 30,00 Ótimo estado
  102. Célia Magalhães Fatos e Curiosidades- Missão Velha  25,00 Novo
  103. Celso Mariz Apanhados Históricos da Paraíba 1980 201 pág. 40,00 Envelhecido
  104. César Barreira Trilhas e Atalhos do Poder, Conflitos Sociais no Sertão 1992 191 pág. 30,00 Bom estado
  105. Chagas Cristóvão Antônio Martins, Cidade da Boa Esperança 2003 228 pág. 35,00 Novo
  106. Cicinato Ferreira Neto A Misteriosa Vida de Lampião  35,00 Novo
  107. Cicinato Ferreira Neto A Tragédia dos Mil Dias- A Seca de 1877-79 no Ceará  2006 284 pág. 35,00 Novo
  108. Claudio Aguiar Caldeirão 40,00 Ótimo estado
  109. Clerisvaldo B. Chagas e Marcello Fausto Lampião em Alagoas 2012  467 pág. 55,00 Novo
  110. Clodomiro Pereira da Silva O Problema das Secas no Nordeste Brasileiro 281 pág. 28,00 Bom estado
  111. Coleção livros dos Municípios Livro do Município de Cajazeiras 174 pag. 35,00 Bom estado
  112. Coleção Mossoroense Pequena Cantoria de Mário de Andrade e Câmara Cascudo para Lampião e Jararaca 103 pag. 40,00 Ótimo estado
  113. Coleção Mossoroense Livro das Secas: nºs. 03 – 05 – 11 – 14 – 16 – 17 – 18 – 20 – 19 – 21 (excelentes livros sobre a seca no Nordeste)   25,00 cada Bom estado
  114. Consuelo Novais Sampaio (Org.) Canudos - Cartas Para o Barão 2001 259 pág. 45,00 Ótimo estado
  115. Costa Porto O Pastoreio na Formação do Nordeste  66 pág. 30,00 Bom estado
  116. Crato-CE A Província – Os nºs. 05 – 06 - 10 – 13 – 15 – 18 e 19 (revista em formato de livro)  25,00 cada Bom estado
  117. Cristina Coin A Guerra de Canudos 1998 72 pág. 20,00 Bom estado
  118. Daniel H. de Medeiros Padre Cícero- O Santo do Povo? 1989 48 pag. 15,00 Bom estado
  119. Daniel Lins Lampião – O Homem que Amava as Mulheres 30,00 Novo
  120. Daniel Piza Euclides da Cunha, Trechos de “Os Sertões) 200 pág. 25,00 Ótimo estado
  121. Daniel Walker Padre Cícero na Berlinda 85 pág. 10,00 Bom estado/envelhecido
  122. Daniel Walker (coord.) O Pensamento vivo de Padre Cícero  15,00 Bom estado
  123. Davino Francisco dos Santos A Coluna Miguel Costa e Não Coluna Prestes  25,00 Bom estado
  124. Deolindo Amorim Sertão do Meu Tempo1978 96 pág. 20,00 Bom estado
  125. Diana Rodrigues Lopes Padre-Mestre Ibiapina e a Casa de Carirdade de Triunpho 2004 pág. 40,00 Novo
  126. Dilson Pontes Chagas Raízes do Sertão 2010 173 pág. 25,00 Novo
  127. Dimas Macedo Lavrenses  Ilustres 1996 238 pág. 35,00 Bom estado/envelhecido
  128. Dom José Adelino Dantas Homens e Fatos do Seridó Antigo 2008 165 pag. 45,00  Novo
  129. Dom José Adelino Dantas O coronel de Milícias Caetano Dantas Correia 78 pág. 30,00 Novo
  130. Domingos Sávio Cordeiro Narradores do Padre Cícero: Muito mais a contar 214 pág. 50,00 Ótimo estado
  131. Dominique Dreyfus Vida de Viajante: A Saga de Luiz Gonzaga 3ª Ed. 2012, 351 pág. 52,00 Novo
  132. Doralécio Soares Valentes e Valentões, Fatos da História Popular do Recife Antigo 1996 141 pág. 35,00 Bom estado
  133. Duarte da Costa e Juracy Pinheiro Nordeste Ontem e Hoje  15,00 Ótimo estado
  134. Edésio Rangel de Farias Cangaço e Polícia, Fatos e Feitos Paraibanos 1995 56 pág. 30,00 Bom estado
  135. Editora ABZ. 365 – Célia Maria Cassis Padre Cícero: Santo ou Impostor. Revista em formato de livro. Artigo com 8 páginas (Raro) 30,00 Bom estado de leitura/envelhecido
  136. Edmar Morel Padre Cícero, O Santo do Juazeiro 1966 227 pag. 30,00 Envelhecido
  137. Edmundo Moniz Canudos a Luta Pela Terra  15,00 Ótimo estado
  138. Edmundo Moniz A Guerra Social de Canudos 1978 282 pág. 35,00 Bom estado
  139. Eduardo Barbosa Lampião Rei do Cangaço 117 pág. 40,00 Bom estado
  140. Eduardo Campos Gustavo Barroso- Sol, Mar e Sertão  30,00 Bom estado
  141. Eduardo Campos Revelações da Condição de vida dos Cativos do Ceará 1984 147 pag. 25,00 Bom estado
  142. Eduardo Hoornaert Os Anjos de Canudos 1998 148 pag. 23,00 Bom estado
  143. Élise Jasmim Cangaceiros 2006 - Álbum Fotográfico do Cangaço 149 pág. 150,00 Ótimo estado
  144. Eloy de Souza O Calvário das Secas 2009 210 pág. 25,00 Novo
  145. Elza Regis de Oliveira A Paraíba na Crise do Século XVIII 218 pág. 35,00 Ótimo estado
  146. Emanuel de morais Brasil Sertão 2008 341 pag. 35,00 Ótimo estado
  147. Epitácio de Andrade Filho A Saga dos Limões, Negritude no Enfrentamento ao Cangaço de Jesuíno Brilhante 2011 92 pág. 35,00 Novo
  148. Epitácio Pessoa  As Obras do Nordeste 1990 97 pág. 15,00 Bom estado
  149. Eric Hobsbawm Bandidos 2010 254 pág. 55,00 Ótimo estado
  150. Erickson de Almeida  Canudos: A trama Político-religiosa e os Militares 30,00 Ótimo estado
  151. Érico de Almeida Lampião, Sua História 2013 Ed. Fac-similar 136 pág. 30,00 Novo
  152. Erivaldo Silveira Fontes Figuras e Fatos de Sergipe  1992 151 pág. 25,00 Ótimo estado
  153. Estácio de Lima O Mundo Estranho dos Cangaceiros 2006 334 pág. 140,00 Ótimo estado
  154. Euclides da Cunha Diário de Uma Expedição 1939 186 pag. 25,00 Bom estado
  155. Euclides da Cunha Episódios de Canudos  (Capa dura) 1978  35,00 Ótimo estado
  156. Euclides da Cunha Os sertões – Campanha de Canudos 476 pag.  30,00 Capa Dura. Ótimo estado
  157. Eugênio Leandro Cego Oliveira   2002 94 pág. 18,00 Novo/livro de Bolso
  158. Eul-Soo Pang Coronelismo e Oligarquias 1889-1943 Bahia 269 pág. 60,00 Bom estado
  159. Eurico Alves Boaventura Fidalgos e Vaqueiros 1989 430 pág. 60,00 Bom estado/capa dura
  160. Evandro Ayres de Moura História de Hontem e de hoje (cangaço)  30,00 Ótimo estado
  161. F. A. Pereira da Costa Pernambuco ao Ceará- O dia 25 de março 1884 312 pág. 25,00 Bom estado
  162. F. Pereira Nóbrega Vingança, Não 2ª ed. 1961  (original) 331 pág. 90,00 Bom estado/envelhecido
  163. F. Pereira Nóbrega Vingança, Não 1ª Ed. 1960  (original) 331 pág. 120,00 Bom estado
  164. F. Saturnino R. de Brito As Secas do Norte  161 pág. 18,00 Ótimo estado
  165. F. Silva Nobre 1001 Cearenses Notáveis 1996 398 pág. 35,00 Bom estado
  166. Fátima Menezes e outra Homens e Fatos na História de Juazeiro 1989 183 pag. 80,00 Bom estado/envelhecido
  167. Fausto da Costa Guimarães Memórias de Um Romeiro 2011 269 pág. 40,00 Ótimo estado
  168. Felipe Guerra Ainda o Nordeste 1987 184 pág. 25,00 Bom estado
  169. Felipe Guerra/Theofilo Guerra Secas Contra a Seca  3ª Ed. 313 pag. 20,00 Bom estado
  170. Fenelon Almeida As Vozes da Seca 1978 151 pág. 25,00 Bom estado/envelhecido
  171. Fernando Melo  João Pessoa, Uma Biografia 2003 326 pág. 30,00 Novo
  172. Fernando Melo João Dantas, Uma biografia 2002 198 pág. 30,00 Bom estado
  173. Fernando Melo Epitácio Pessoa, Uma biografia 208 pág. 30,00 Ótimo estado
  174. Fernando Moura Jackson do Pandeiro – Série Paraibanos do Século 64 pág. 18,00 Bom estado
  175. Fernando Mouro e Antônio Vicente Jackson do Pandeiro, O Rei do Ritmo 2001 412 pág. 58,00 Novo
  176. Firmino Holanda Benjamim Abrahão  85 pág. 18,00 Novo(livro de bolso)
  177. Flávio Paiva Mobilização Social no Ceará  2002 172 pág.  18,00 Novo
  178. Florival Seraine Folclore Brasileiro – Ceará 1978 64 pag. 23,00 Bom estado
  179. Florival Seraine Antologia do Folclore Cearense 1983 356 pág. 35,00 Bom estado/falha na capa
  180. Floro Bartolomeu Juazeiro e o Pe. Cícero, Depoimento para a História 183 pag. 35,00 Novo
  181. Francisco das Chagas Batista Antologia (todos os Cordéis de Francisco das Chagas Batista) 1977 – Extraordinário. 280 pág. 50,00 Bom estado
  182. Francisco de Assis Lemos Nordeste, Ligas Camponesas 1996 375 pag. 30,00 Bom estado
  183. Francisco Fausto de Souza História de Mossoró 275 pág. 35,00 Envelhecido/miolo bom
  184. Francisco Fernandes do Nascimento Milagre na Terra Violenta: Padre Cícero, O Santo Rebelde. 237 pág. 35,00 Bom estado
  185. Francisco Galvão  Do Coronelismo ao Caldeirão 2006 192 pág. 35,00 Novo
  186. Francisco José de Souza Quintino Cunha  18,00 Novo (livro de bolso)
  187. Francisco Nóbrega Teixeira Psicografia do Padre Cícero 175 pág. 35,00 Ótimo estado
  188. Francisco Nóbrega Teixeira Nos Tempos do Padre Cícero 1994 127 pág. 30,00 Bom estado
  189. Francisco Sales Cartaxo Rolim Política dos Currais 1979 229 pág. 30,00 Bom estado
  190. Francisco Venâncio Filho Euclides da Cunha e Seus amigos1938 (Correspondência entre amigos) 245 pág. 40,00 Capa dura/envelhecido
  191. Fred Navarro Assim Falava Lampião1998 270 pág. 40,00 Bom estado
  192. Frederico de Castro Neves A Multidão e História: Saques e outras ações de massas no Ceará  2000 265 pág. 35,00 Ótimo estado
  193. Frederico Pernambucano de Mello Benjamin Abrahão, Entre Anjos e Cangaceiros 45,00 Novo.
  194. Frederico Pernambucano de Mello Quem Foi Lampião 1993 151 pag. 70,00 Ótimo estado
  195. Frederico Pernambucano de Mello Guerreiros do Sol 5ª Ed.  2011 519 pág. 70,00 Novo
  196. Frederico Pernambucano de Mello Estrelas de Couro, A Estética do Cangaço 1ª Ed. 2010  Edição de Luxo.  130,00 Novo
  197. Funarte Pequeno Atlas de Cultura Popular do Ceará – Juazeiro do Norte 89 pág. 30,00 Mancha na folha de rosto, miolo perfeito
  198. Gastão Neves Romanceiro de Canudos  1991 171 pág. 30,00 Bom estado
  199. Geraldo A. Waring Suprimento Dágua no Nordeste do Brasil 142 pag.  20,00 Ótimo estado
  200. Geraldo Amâncio e Vanderley Pereira De Repente Cantoria, Uma coletânea de Versos e repentes dos maiores Cantadores do Brasil 2013 488 pág. 60,00 Novo
  201. Geraldo Amâncio (poeta) Assim Viveu e Morreu Lampião Rei do Cangaço 70 pág. 25,00 Novo.(181 Estrofes  cordel)
  202. Geraldo Ananias Pinheiro Réstia do Tempo, Contos e Crônicas 2008 245 pág. 30,00 Ótimo estado
  203. Geraldo Ferraz Pernambuco no Tempo do Cangaço 2vol. 1.024 pag. 120,00 Novo
  204. Geraldo Ferraz Theophanes F. Torres, Um Herói Militar 2004 250 pag. 45,00 Novo
  205. Geraldo Menezes Barbosa História do Padre Cícero ao Alcance de Todos 166 pág. 40,00 Bom estado/com manchas na capa
  206. Getúlio Ribeiro Leite Veredas do Meu Sertão 2007 316 pág. 35,00 Bom estado
  207. Gil Soares A Oligarquia Maranhão 1999 56 pág. 15,00 Ótimo estado
  208. Gilbamar de Oliveira Bezerra A Derrota de Lampião (Mossoró) 2010 104 pag. 28,00 Novo
  209. Gilberto Freyre Sobrados e Mucambos  2vol.  70,00 Ótimo estado
  210. Gilberto Freyre Tempo de Aprendiz  2 vol. 30,00 cada 60,00 Bom estado
  211. Gilberto Freyre O Velho Felix e Suas “Memórias de Um Cavalcanti” 1989 141 pág. 45,00 Bom estado
  212. Gilberto Martins Cidadela de Deus a Saga de Canudos  1977 174 pag. 20,00 Bom estado
  213. Gildson Oliveira Luiz Gonzaga o Matuto que Conquistou o Mundo  40,00 Ótimo estado
  214. Gilmar Chaves (Org.) Ceará de Corpo e Alma: Olhar Contemporâneo de 53 Autores Sobre a Terra da Luz(ótimo livro) 381 pág. 30,00 Ótimo estado
  215. Gilmar de Carvalho Patativa Poeta Pássaro do Assaré 2002 187 pag. 30,00 Bom estado
  216. Gilmar de Carvalho Patativa do Assaré 2001 84 pág. 18,00 Novo
  217. Gilmar de Carvalho Patativa em Sol Maior 192 pág. 30,00 Novo
  218. Gilmar Teixeira Quem Matou Delmiro Gouveia? 2011 152 pág. 45,00 Novo
  219. Gonçalo Ferreira da Silva Lampião, a Força de um Líder  2005 268 pág. 45,00 Ótimo estado
  220. Gonzaga Rodrigues  Notas do Meu Lugar 1978 259 pág. 18,00 Bom estado
  221. Gouveia de Helias Dias Sem Compaixão 2010 178 pag. 25,00 Novo
  222. Gregg Narber Entre a Cruz e Espada: Violência e Misticismo no Brasil Rural 206 pag.  30,00 Ótimo estado
  223. Guilherme Gomes da S. D’Avila Lins Rodolpho Garcia- O Gigante do Ceará-mirim – Uma Contribuição Bibliográfica 2ª Ed. 2001 60 pag. 12,00 Novo
  224. Gustavo Barroso À Margem da História do Ceará  (2 volumes )  70,00 Novo/
  225. Gustavo Barroso Colônia de Banqueiro  30,00 Bom estado
  226. Gustavo Barroso Consulado da China  30,00 Bom estado
  227. Gustavo Barroso Mississipi  50,00 Ótimo estado
  228. Gustavo barroso Praias e Várzeas, Alma Sertaneja 35,00 Bom estado/envelhecido
  229. Gustavo Barroso Tamandaré  30,00 Capa dura
  230. Gustavo Barroso Terra de Sol  40,00 Novo
  231. Gustavo Barroso Ao Som da viola 1949 594 pág. 80,00 Envelhecido miolo bom/
  232. Gustavo Barroso Heróis e bandidos,  Os cangaceiros do Nordeste  2012 197 pág. 40,00 Novo
  233. Gustavo Barroso Almas de lama e de aço, Lampião e outros cangaceiros 2ª Ed. 2012 117 pág. 35,00 Novo
  234. Gustavo Barroso História Secreta do Brasil 1990(ótima coleção) 6 volumes  300,00 Novo
  235. Gutemberg Costa A Influência do Cangaço na Música popular Brasileira 1998 84 pág. 40,00 Bom estado/soltando as folhas
  236. Gutemberg Costa Breviário Profano do Povo 2003 132 pág. 25,00 Bom estado
  237. Gutemberg Costa Profetas do Nordeste 1994 127 pág. 35,00 Bom estado/com alguns ricos a caneta
  238. Haroldo Felinto Contos Matutos  2009 170 pag. 20,00 Novo/
  239. Haroldo Felinto Retrato do Sertão- Histórias—Contos – Escritos 2006 129 pag. 18,00 Novo/
  240. Haroldo Felinto Curiosidades e Fatos Sobre Lampião 2012 207 pág. 30,00 Novo
  241. Harrison Oliveira Reflexões Sobre a Miséria do Nordeste 1984 244 pág. 35,00 Bom estado/envelhecido
  242. Henry Coster Viagem Ao Nordeste do Brasil  2 volumes.  70,00 Novo
  243. Hitoshi Nomura Vultos do Folclore brasileiro  2001 182 pág. 20,00 Ótimo estado
  244. Honório de Medeiros Massilon  55,00 Novo
  245. Horácio de Almeida Pedro Américo – Notícias Biográficas 93 pág. 23,00 Ótimo estado
  246. Iaperi Araújo No Rastro dos Cangaceiros 2009 152 pag. 40,00 Novo
  247. IBGE O Vale do Cariri(livrinho, dimensão 11x19cm, com muitas informações históricas e econômicas sobre o Vale do Cariri Cearense.  1957 38 pág. 40,00 Bom estado
  248. Idelbrando Alves de Lima Religiosidade na Paraíba Colonial: O Trabalho dos Franciscanos na Paraíba Colonial 2010 189 pág. 25,00 Novo
  249. Ilda R. de Souza”Sila”e Zai Sila, Uma Cangaceira de Lampião  130 pág. 60,00 Bom estado
  250. Ilsa Fernandes Queiróz Mulheres no Cangaço, Amantes e Guerreiras 144 pág. 35,00 Novo/
  251. Inês Caminha L. Rodrigues  A Revolta de princesa 1981 81 pag. 15,00 Bom estado-Livro Bolso
  252. Inst.Hist. e Geog. Do RN Câmara Cascudo(Sua Vida Sua Obra)  23,00 Bom estado
  253. Instituto Nacional do Livro Na História da Paraíba 2ª fase(1912-1935)  40,00 Envelhecido.
  254. Irani Medeiros Leandro Gomes de Barros(Antologia) Poesia  30,00 Ótimo estado
  255. Irani Medeiros Pinto de Monteiro, o Bardo do Cariri 2007 179 pág. 25,00 Novo
  256. Irineu Pinheiro O Cariri- Seu Descobrimento, Povoamento, Costumes –  2011. Ed. 1950 70,00 45,00 Novo
  257. Irineu Pinheiro Efemérides do Cariri – 2010 - Clássico 555 pág. 55,00 Novo
  258. Irineu Pinheiro O Joaseiro do Padre Cícero e a Revolução de 1914 215 pág. 50,00 Ó timo estado
  259. Isabel Lustosa De Olho em Lampião 2011 109 pág. 25,00 Novo
  260. Isaura Amélia de S. R. Maia e outro Bom Dia Sertão(o sertão de Juvenal e Oswaldo Lamartine) 318 pag. 35,00 Novo
  261. Isaura de A. R. Maia e outro Bom Dia Pe. João Maria 196 pag. 35,00 Novo
  262. Itan Pereira da Silva Edvaldo do Ó: Um Tropeiro da Borborema 1999 130 pág. 25,00 Bom estado
  263. Ivan Bichara Carcará- Romance Histórico - Ataque de Sabino Gomes a Cajazeiras em 1926  276 pag.  30,00 Bom estado
  264. Ivo Mascena Veras Lourival Batista Patriota  2004 439 pág. 60,00 Ótimo estado
  265. J. C. de Alencar Araripe Bárbara e a Saga da Heroína 2006  199 pág. 30,00 Novo
  266. J. C. de Alencar Araripe Alencar, o Padre Rebelde  1995 227 pág. 35,00 Ótimo estado
  267. J. Capistrano de Abreu Caminhos Antigos e Povoamento do Brasil  30,00 Novo
  268. J. Ciro Sampaio No Tempo dos coronéis (1958-1986) 2011 316 pág. 55,00 Novo
  269. Jáder de Carvalho Antologia de João Brígido  1969 596 pág. 60,00 Bom estado
  270. Jáder de Carvalho Terra Bárbara 1998 116 pág. 25,00 Ótimo estado
  271. Janaina amado Conflitos Sociais no Brasil- A revolta dos Mucker 303 pag. 28,00 Bom estado
  272. Janduhi Dantas Viagem aos 80 anos da Revolta de Princesa (112 Estrofes de Cordel sobre a Guerra de Princesa.) 41 pág. 18,00 Ótimo estado
  273. Januário Feitosa Eméritos Cearenses Que Honraram a Nossa História 186 pág. 20,00 Bom estado Com manchas
  274. Januário Feitosa Do Sertão ao Parlamento  1978 194 pág. 50,00 Capa dura nova/ miolo bom/ c/ carimbo
  275. Januário Feitosa Sertão do Meu tempo  1988 170 pág. 50,00 Bom estado
  276. Jayme Griz Gente, Coisas e Contos do Nordeste 1954 44 pag. 15,00 Envelhecido
  277. Jeanne Barrance de Castro A Milícia Cidadã: A Guarda Nacional 1831-1850 260 pág. 30,00 Ótimo estado
  278. Jerdivan Nóbrega de Araújo Sob o Céu Estrelado de Pombal 169 pág. 20,00 Ótimo estado
  279. Jerdivan Nóbrega de Araújo A Saga da Cabocla Maringá 2011 194 pág. 30,00 Novo
  280. João Alfredo de S. Montenegro Ideologia e Conflito no Nordeste Rural  30,00 Bom estado
  281. João Arruda Antônio Conselheiro e a Comunidade de Canudos 172 pag. 25,00 Bom estado
  282. João Arruda Padre Cícero: Religião, Política e Sociedade 2002 192 pág. 40,00 Ótimo estado
  283. João Arruda Canudos: Messianismo e Conflito Social 1993 183 pág. 28,00 Bom estado/manchas no corte
  284. João Batista Galvão Subsídios para a História da Abolição do Cativeiro no Rio Grande do Norte 1982 96 pág. 20,00 Bom estado
  285. João Bezerra da Nóbrega Lampião e o Cangaço na Paraíba 2011 345 pág. 55,00 Novo
  286. João da Silva Feijó Memória Sobre a Capitania do Ceará e Outros Trabalhos 1997  25,00 Ótimo estado
  287. João de Lyra Tavares Apontamentos Para a História Territorial da Paraíba. Vol II (o vol. I não tenho) 35,00 Bom estado
  288. João de Sousa Lima A Trajetória Guerreira de Maria Bonita  38,00 Novo
  289. João de Sousa Lima Moreno e Durvinha  38,00 Novo
  290. João de Sousa Lima Centenário de Luiz Gonzaga e a Passagem do Rei do Baião em Paulo Afonso  2012 112 pág. 30,00 Novo
  291. João de Sousa Lima (Org.) Maria Bonita- Diferentes Contextos Que Envolveram a Vida da Rainha do Cangaço 172 pag. 38,00 Novo
  292. João Rolim da Cunha Barra da Timbaúba (Genealogia) . 417 pág. 60,00 Bom estado
  293. João Tavares Calixto Júnior Venda Grande d’Aurora (Dados Históricos Sobre Aurora-CE) 2012 299 pág. 50,00 Novo
  294. Joaquim Alves  História das Secas (se. XVII ao XIX)  242 pág. 28,00  Novo
  295. Joaquim Inojosa República de Princesa  55,00 Bom estado
  296. Joaquim Moreira Caldas Porque João Dantas assassinou João Pessoa  30,00 Novo
  297. Joaquim Osterne Carneiro Uma Visão Histórica das Secas do Nordeste 2001 76 pag. 12,00 Novo-Livro de Bolso
  298. Joaryvar Macedo  Ensaios e Perfis 2001 275 pag.  30,00 Ótimo estado
  299. Joaryvar Macedo Povoamento e Povoadores do Cariri Cearense  275 pág. 50,00 Bom estado
  300. Joaryvar Macedo Império do Bacamarte 1990 274 pág. 100,00 Bom estado
  301. Joaryvar Macedo e Rejane M. Augusto Gonçalves Os Augustos  2ª Ed. 2009  627 pág. 65,00 Novo
  302. Jorge Mattar Villela Política e Eleições no Sertão Pernambucano 2008 249 pag. 20,00 Novo
  303. Jorge Mattar Villela O Povo em Armas: Violência e Política no Sertão de Pernambuco 2004 292 pág. 35,00 Ótimo estado
  304. José  Condé Terra de Caruaru 1987 232 pag. 20,00 Bom estado-envelhecido
  305. José Alípio Goulart O Ciclo do Couro no Nordeste 1966 73 pág. 35,00 Envelhecido/miolo bom
  306. José Alves  Sobrinho Lampião, Antônio Ferreira e Levino – A Parceria e o Cangaço  2012 235 pág. 55,00 Novo
  307. José Alves Sobrinho Lampião e Zé Saturnino, 16 anos de lutas  40,00 Novo
  308. José Alves sobrinho Cantadores com quem Cantei  2009 127 pág. 20,00 Ótimo estado
  309. José Alves Sobrinho A Saga do Trio Nordestino 2008 153 pág. 50,00 Novo
  310. José Américo de Almeida A Bagaceira 1993 142 pag. 35,00 Ótimo estado
  311. José Américo de Almeida A Paraíba e Seus Problemas 1980 721 pag. 35,00 Regular  estado/capa refeita/miolo perfeito
  312. José Américo de Almeida O Ciclo Revolucionário do Ministério da Aviação 1982 457 pag. 30,00 Bom estado
  313. José Américo de Almeida A Palavra e o Tempo (1937-1945-1950)  1986 325 pág. 35,00 Bom estado
  314. José Américo de Almeida A Palavra e o Tempo  1986 325 pág. 35,00 Bom estado
  315. José Anderson Nascimento Cangaceiros, Coiteiros e Volantes  30,00 Ótimo estado
  316. José Antonio Sola Canudos – Uma Utopia no Sertão 1989 80 pag. 20,00 Bom estado
  317. José Aras Sangue de Irmãos- Canudos por Dentro 240 pag.  50,00  Novo
  318. José Augusto Famílias Seridoenses 1940 92 pág. 80,00 Regular estado/necessita encadernação
  319. José Aurélio Saraiva Câmara Fatos e Documentos do Ceará Provincial 1970 349 pág. 80,00 Bom estado
  320. José Bonifácio de Sousa Quixadá - Serra do Estêvão   1997 331 pág. 30,00 Bom estado
  321. José Borges de Sales Notícias Sobre a Trajetória de Cearenses na Paraíba e Paraibanos no Ceará  2005 327 pág. 35,00 Ótimo estado
  322. José Borges de Sales Alagoa Nova, Notícias para a sua História 1990 226 pág. 45,00 Bom estado
  323. José de Abrantes Gadelha Sangue, Terra e Pó 120 pag.  60,00 Regular estado
  324. José de Figueiredo Filho História do Cariri – 4 volumes - 2010 - Clássico 400 pag. 120,00 Novo
  325. José de Figueiredo Filho Engenho de Rapadura do Cariri - 2010  30,00 Novo
  326. José de Figueiredo Filho  Folguedos Infantis - 2010 141 pág. 25,00 Novo
  327. José de Figueiredo Filho e Irineu Pinheiro Cidade do Crato - 2010 132 pág. 35,00 Novo
  328. José Dionísio Nóbrega Euclides da Cunha e o Sertão de Canudos 219 pag. 45,00 Novo     
  329. José Fernandes Bezerra Retalhos do Meu Sertão 1978 103 pag. 18,00 Bom estado
  330. José Gastão Cardoso A Heróica Resistência de Princesa  2ª ed.   25,00 Novo
  331. José Geraldo Aguiar Lampião, O Invencível, Duas Vidas Duas Mortes (Lampião de Buritis) 2009 275 pág. 50,00 Novo
  332. José Gregório Cangaceiro e Herói: Jesuíno Brilhante 1976 123 pág. 100,00 Bom estado/carimbo do colégio objetivo
  333. José Guimarães Duque Perspectivas Nordestinas 2001 336 pág. 30,00 Ótimo estado
  334. José Guimarães Duque Solo e Água no Polígono das Secas 1980 273 pág. 30,00 Ótimo estado
  335. José Hilário Do Cangaço ao Congresso 1994 241 pág. 30,00 Envelhecido pelo tempo
  336. José Jacinto de Araújo No Roteiros das Secas   2002 204 pág. 25,00 Ótimo estado
  337. José Joffily Entre a Monarquia e a República: Ideias e Lutas de Irinêo Joffily 1982 343 pág. 35,00 Bom estado
  338. José Marcelo L. Barbosa Luiz Gonzaga, Suas Canções, Seus Seguidores 347 pág. 45,00 Ótimo estado
  339. José Nunes  Padre Ibiapina- Apóstolo da Caridade 2010 72 pag. 23,00 Novo
  340. José Octávio de arruda Mello História da Paraíba 2002 278 pag. 25,00 Novo
  341. José Octávio Pereira Lima  Terra Nordestina, Problemas, Homens e Fatos  23,00 Novo                                                        
  342. José Otávio Escravidão na Paraíba: Historiografia e História  144 pág. 22,00 Bom estado
  343. José Permínio Wanderley Retalhos do Sertão 1994 101 pag. 20,00 Bom estado
  344. José Ribeiro Júnior Colonizadores e Monopólio no Nordeste Brasileiro 1976 210 pág. 30,00 Bom estado
  345. José Rivair e Mário Maestri Belo monte, Uma história da Guerra de Canudos 196 pág. 25,00 Ótimo estado
  346. José Romero A. Cardoso e outros Euclides da Cunha e as Secas 2005 83 pág. 20,00 Ótimo estado
  347. José Sabino/César Megale Lampião, Sua Morte Passada a Limpo 2011 192 pag. 45,00 Novo
  348. José Vieira Camelo Filho - Zuza Lampião, O sertão e Sua Gente 2ª Ed. 2008 182 pág. 50,00 Bom estado
  349. Josildeth Gomes Consorte e Lísias Nogueira Negrão Messianismo no Brasil Contemporâneo 1984 427 pág. 70,00 Bom estado
  350. Josué de Castro Documentário do Nordeste 1968 172 pág. 35,00 Bom estado
  351. Jota Alcides Padre Cícero O Poder da Comunicação  10,00 Bom estado/envelhecido
  352. Juarez Conrado Última Semana de Lampião 1980 (reportagens) 84 pág. 70,00 Bom estado /envelhecido
  353. Juarez Conrado Lampião- Assaltos e Mortes em Sergipe 2010 301 pag. 55,00 Novo
  354. Júlio José Chiavenato As Lutas do Povo Brasileiro/Canudos  20,00 Bom estado
  355. Késsia Brito O Mito de Lampião 47 pág. 12,00 Bom estado
  356. Kydelmir Dantas Severino Ferreira - O Assum Preto da Viola 1997 75 pág. 20,00 Bom estado. Peq. mancha na capa
  357. Kydelmir Dantas Mossoró e o Cangaço  1997 150 pág. 30,00 Bom estado
  358. Kydelmir Dantas Luiz Gonzaga e o Rio Grande do Norte 2012 208 pág. 35,00 Novo
  359. Lauro da Escócia  Cronologia Mossoroense 2010 305 pag.  28,00  Ótimo estado
  360. Lauro Lima O Cavalo de Piripiri (História de Santa Fé), antigo distrito de  São José de Piranhas-PB, faz referência a Monte Horebe e Bonito de Santa fé.(Romance). 223 pág. 50,00 Bom estado
  361. Lauro Pires Xavier(Coordenador) A Visão do Nordeste na Perspectiva de José Augusto Trindade  20,00 Bom estado
  362. Leandro Tocantins Euclides da Cunha e o Paraíso Perdido 1978 280 pag. 20,00  Bom estado
  363. Leonardo Mota Cantadores 2002  33,00 Novo
  364. Leonardo Mota No Tempo de Lampião 2002  40,00 Novo
  365. Leonardo Mota Sertão Alegre 2002  33,00 Novo
  366. Leonardo Mota Violeiros do Norte 2002  33,00 Novo
  367. Leonardo Mota Adagiário Brasileiro 1982 40,00 Bom estado
  368. Liduina Farias A. da Costa  O Sertão Não Virou Mar  2005 299 pág. 20,00 Ótimo estado
  369. Lira Neta Padre Cícero, Poder, Fé e Guerra no Sertão 2009 557 pág. 55,00 Ótimo estado
  370. Loiva Otero Feliz Coronelismo, Borgismo e Cooptação Política 1987 215 pag. 30,00 Bom estado/capa dura
  371. Lourenço Moreira Lima A Coluna Prestes: Marchas e Combates 631 pág. 70,00 Bom estado
  372. Lúcia de Fátima G. Ferreira Raízes da Industria da Seca, o Caso da Paraíba 139 pág. 20,00 Bom estado
  373. Luciano N. da Costa e Silva e out. Padre Cícero – O Apóstolo do Juazeiro  15,00 Ótimo estado
  374. Lúcio Flávio Vasconcelos Entre a Civilização e a Barbárie 2005  91 pág. 20,00 Ótimo estado
  375. Luís Henrique Dias Tavares História da Bahia 164 pág. 40,00 Bom estado
  376. Luís Wanderley Torres Vida e Morte do Padre Cícero1984 200 pág. 35,00 Ótimo estado.
  377. Luitgarde Oliveira C. Barros A Derradeira gesta: Lampião e Nazareno Guerreando no Sertão 2000 260 pag. 55,00 Novo
  378. Luiz Alberto Moniz Bandeira O Feudo - a Casa da Torre  2000 601 pág. 70,00 Ótimo estado c/ carimbo
  379. Luiz Antonio Aguiar Canudos, Santos e Guerreiros em luta no Sertão 79 pag. 12,00 Bom estado
  380. Luiz Bernardo Pericás Os Cangaceiros  55,00 Novo
  381. Luiz Cristóvão dos Santos Brasil de Chapéu de Couro 1958 177 pág. 30,00 Bom estado
  382. Luiz Cristóvão dos Santos Caminhos do Sertão – Crônicas 1970 149 pág. 45,00 Bom estado
  383. Luiz de Aguiar Costa Pinto Lutas de Famílias no Brasil 1980 130 pág. 40,00 Ótimo estado
  384. Luiz de Mariano de B. Fournier  O Problema das Secas do Nordeste 1989 164 pág.  20,00 Bom estado
  385. Luiz Eduardo B. Suassuna/Marlene da S. Mariz História do Rio Grande do Norte 2005 403 pag. 45,00 Novo
  386. Luiz Luna Lampião e Seus Cabras 2ª Ed. 1972 160 pág. 40,00 Bom estado
  387. Luiz Mariano de B. Fournier O Problema das Secas do Nordeste 1989 164 pág. 25,00 Bom estado
  388. Luiz Pinto A Influência do Nordeste nas Letras Brasileiras 153 pág. 30,00 Envelhecido.miolo bom
  389. Luiz Pinto Homens do Nordeste e outros ensaios (Paraiba) 182 pág. 60,00 Bom estado/envelhecido
  390. Luiz Ruben F. Bonfim Lampião Conquista a Bahia 2011 422 pág. 50,00 Novo
  391. Luiz Ruben F. Bonfim Lampião e os Interventores 2007  236 pag. 40,00 Novo
  392. Luiz Rubens F A Bonfim Notícias Sobre a Morte de Lampião 166 pag.  40,00 Novo
  393. Luiz Rubens F. de A. Bonfim Lampião e os governadores    40,00 Novo
  394. Luiz Tadeu Feitosa Patativa do Assaré: A Trajetória de Um canto 313 pág. 30,00 Ótimo estado
  395. Luiz W. Torres Lampião e o Cangaço  30,00 Ótimo estado
  396. Luiz Wilson O Município de Arcoverde 1982 234 pag. 50,00 Bom estado
  397. Luiz Wilson Roteiros de Velhos e Grandes Sertanejos 3vol.  200,00 Bom estado
  398. Luiz Zanotti Lampião: Texto, Tela e Palco –  Tese de Doutorado - 2012  308 pág. 50,00 Novo
  399. Manoel Benício  O Rei dos Jagunços 1997  30,00 Ótimo estado
  400. Manoel Cavalcanti de Souza( Ex-volante Neco de Pautília) Lembrar e escrever, não é só querer - “Memórias” do Cangaço e Genealogia. 167 pág. 32,00 Novo
  401. Manoel Correia de Andrade A Terra e o Homem do Nordeste . . 45,00 Novo
  402. Manoel Ferreira Nobre Breve Notícia Sobre a Província do Rio Grande do Norte  2011 242 pág. 40,00 Novo
  403. Manuel Correia de Andrade O Nordeste e a Questão Regional 1988 70 pag. 20,00 Bom estado
  404. Manuel Otaviano Emboscada do Destino  30,00 Ótimo estado
  405. Manuel Otaviano O Chefe Político  35,00 Ótimo estado
  406. Manuel Pedro das D Bombinho Canudos, História em Versos 2002 340 pag. 25,00 Bom estado
  407. Marcelo Camurça Marretas, Molambudos e Rabelistas 1994 314 pág. 40,00 Bom estado
  408. Marcos Edilson de Araújo Clemente Lampiões Acesos: O cangaço na memória coletiva 2009 217 pág. 80,00 Novo
  409. Marcos Evangelista da C. V. Jr. Canudos, Memórias de Um Combatente 132 pág. 20,00 Bom estudo
  410. Marcos Medeiros A Caatinga Sustentou Campesino e Cangaceiros Cordel 16pg 8,00 Novo
  411. Marcos Passos Antologia Poética-Retratos do Sertão 2009 352 pag. 45,00 Ótimo estado
  412. Marcos Pinto Datas e Notas Para a História de Apody(livro II) 450 pág. 40,00 Bom estado-envelhecido
  413. Marcos Vinícios Vilaça e outro Coronel, Coronéis 1978 225 pag. 35,00 Ótimo estado
  414. Maria Auxiliadora Lemente Família, Tradição e poder 250 pag.  18,00 Bom estado
  415. Maria Christina Matta Machado Espectos do Fenômeno do Cangaço no Nordeste Brasileiro 1973 (Revista de História) Raro Das pág.  139 à176 70,00 Bom estado/Revista em formato de livro
  416. Maria das Graças L. Madeira A Pedagogia Feminina das Casas de Caridade do Padre Ibiapina  2008 391 pág. 33,00 Novo
  417. Maria de Lourdes L. Luna José Américo de Almeida (paraibanos do século) 83 pág. 20,00 Ótimo estado
  418. Maria de Lourdes M. Janotti 1985  Coronelismo, Uma Política de Compromisso 1985 88 pag. 18,00 Bom estado-Livro Bolso
  419. Maria do Carmo P. Forti Maria do Juazeiro, a Beata do Milagre 1999 138 Pág. 25,00 Ótimo estado
  420. Maria do Rosário Caetano (org.) Cangaço: O Nordestern no Cinema Brasileiro 120 pág. 40,00 Ótimo estado
  421. Maria Isaura P. de Queiroz História do Cangaço 1986 74 pág. 25,00  Bom estado/envelhecido
  422. Maria Isaura P. de Queiroz Os Cangaceiros  1977 213 pág. 50,00 Bom estado/com manchas
  423. Mariane L. Wieserbron Historiografia do Cangaço e o Estado Atual da Pesquisa Sobre Banditismo a Nível nacional e Internacional (Apostila) 28 pag. Coleção Mossoroense Série “A” 28,00 Bom estado
  424. Marilourdes Ferraz O Canto do Acauã  4ª edição 2012  680 pág. 130,00 Novo
  425. Mario Souto Maior Antônio Silvino – Capitão de Trabuco  50,00 Novo
  426. Mario Souto Maior Frei Damião: Um Santo? 72 pag.  20,00 Bom estado
  427. Mário Souto Maior Padre Cícero  (Bibliografia)  30,00 Novo
  428. Maurício Segall O Coronel dos Coronéis(Delmiro Gouveia) Teatro 127 pag. 12,00 Bom estado
  429. Maximiano Campos Sem Lei, Nem Rei   1990 141 pag. 15,00 Ótimo estado
  430. Maximiano Lopes Machado História da Província da Paraíba vol. II 1977  42,00 Bom estado
  431. Melquíades Pinto Paiva Bibliografia Comentada do Cangaço vol. III 105 pág. 10,00 Ótimo estado
  432. Melquíades Pinto Paiva A Matriarca do Sertão: Fideralina Augusto Lima 153 pag. 35,00 Novo
  433. Melquíades pinto Paiva Bibliografia Comentada do Cangaço vol. V  89 pag. 10,00 Novo
  434. Melquíades Pinto Paiva Ecologia do Cangaço  35,00 Novo
  435. Melquíades Pinto Paiva Os Naturalistas do Ceará 2002 354 pág. 60,00 Ótimo estado
  436. Melquíades Pinto Paiva Cangaço, uma ampla bibliografia comentada 2012
  437. “Um  magnífico guia de fontes para quem deseja conhecer a vasta bibliografia do Cangaço”  392 pág. 85,00 Novo / Capa dura
  438. Melquíades Pinto Paiva Nordeste do Brasil: Terra, Mar e Gente 2010 407 pág. 55,00 Ótimo estado
  439. Melquíades Pinto Paiva Memorial do Centenário: José Rodrigues Tavares Paiva(1826-1996) 79 pág. 25,00 Ótimo estado
  440. Messias Ferreira de Lima São José de Piranhas-PB, Um Pouco da Sua História  (Ref. ao cangaceiro 2 de Ouro)  25,00 Novo
  441. Mirelle Araújo da Silva O Lavrador, A função do jornal na formação do professor ruralista de Juazeiro do Norte 175 pág. 35,00 Novo
  442. Miriam V. Garete Civilização e Barbárie no Sertões  25,00 Novo
  443. Moacir Assunção Os Homens Que Mataram o Facínora 2007 278 pág. 55,00 Parte da capa rasgada, miolo ótimo.
  444. Moacir Medeiros de Santana Efemérides Alagoanas 1992 115 pág. 28,00 Bom estado
  445. Moacyr Scliar O Sertão Vai Virar Mar 2003 119 pag. 20,00 Bom estado/corte na capa
  446. Museu da República Canudos – Imagens da Guerra (fotos de Flávio de Barros) 1997 171 pag.  70,00 Bom estado
  447. Napoleão Tavares Neves Cariri, Cangaço, Coiteiros e Adjacências 2009 131 pag. 35,00 Novo
  448. Natércia S. D. R. Coutinho João Suassuna- série paraibanos do século 31 pág. 15,00 Ótimo estado
  449. Nelly Cordes O Rei dos Cangaceiros 1954 181 pág. 30,00 Bom estado de leitura envelhecido/com manchas
  450. Nertan Macedo Padre e a Beata 236 pág. 30,00 Bom estado/envelhecido
  451. Nertan Macedo Antônio Conselheiro  30,00 Bom estado/envelhecido
  452. Nertan Macedo O Bacamarte dos Mourões 1966 250 pag. 50,00 Ótimo estado
  453. Nertan Macedo O Clã de Santa Quitéria  30,00 Regular estado
  454. Nertan Macedo O Clã dos Inhamuns 1980 124 pag. 50,00 Ótimo  estado
  455. Nertan Macedo Memorial de Vilanova 162 pag. 60,00 Ótimo estado
  456. Nertan Macedo Floro Bartolomeu, o Caudilho dos Beatos e Cangaceiros 202 pag. 55,00 Ótimo estado
  457. Nertan Macedo Lampião: Capitão Virgulino Ferreira 1975 220 pág. 35,00 Bom estado
  458. Nertan Macedo Sinhô Pereira: O Camandante de Lampião  148 pág. 40,00 Bom estado
  459. Nertan Macedo Abilio Wolney, Um Coronel da Serra Geral 122 ág. 50,00 Bom estado/capa dura/com carimbo
  460. Nicola S. Costa Canudos  12,00 Bom estado
  461. Nilo Pereira Notas Avulsas (Seleção) 1982 408 pág. 30,00 Ótimo estado
  462. Nilton Freixinho O Sertão Arcaico do Nordeste do Brasil 2003 263 35,00 Bom estado c/ carimbo
  463. Nilza Rezende Guerra de Canudos, O Filme  1997  157 pág. 30,00 Bom estado
  464. Nordeste Vinteum (Revista) Maria Bonita: Vida, Paixão e Morte no Sertão 2011(Centenário de Maria Bonita)  25,00 Ótimo estado
  465. Odílio Figueiredo Filho Odílio Figueiredo, Um Juazeirense de Expressão 199 pág. 35,00 Novo
  466. Oleone Coelho Fontes No Rastro das Alpercatas do Conselheiro 2011 393 pag. 50,00 Lançamento
  467. Oleone Coelho Fontes O Treme-Terra- Moreira César-Canudos . 404pags. 40,00 Novo
  468. Oleone Coelho Fontes Lampião na Bahia 4ª edição  368 Pág. 55,00 Ótimo estado
  469. Olímpio Bonald Neto Bacamarte, Pólvora e Povo  114 pág. 30,00 Bom estado/algumas manchas
  470. Oliveiros Litrento Canudos: Visões e Revisões 1981 260 pág. 35,00 Bom estado
  471. Osvaldo Rodrigues Póvoa Quinta-feira Sangrenta- Hist. de Dianópolis-TO (antiga São José di Duro-GO) (Narra a morte do Major Zé Inácio do Barro) 186 pág 40,00 Novo
  472. Otacílio Anselmo A Revolução de 30 no Ceará  60,00 Bom estado/envelhecido
  473. Otacílio Anselmo Padre Cícero, Mito e Realidade 1968 584 pag. 60,00 Bom estado-envelhecido
  474. Padre Antônio Gomes de Araújo Um civilizador do Cariri e Outros Estudos 1980 83 pág.  60,00  Bom estado
  475. Padre Antônio Vieira Roteiro Lírico e Místico Sobre Juazeiro do Norte 131 pág. 20,00 Bom estado
  476. Padre Antônio Vieira A Igreja, o Estado e a Questão Social 1986 186 pág. 25,00 Bom estado geral, soltando as últimas pág.
  477. Padre Azarias Sobreira O Patriarca de Juazeiro 2011. 472 pág. 45,00 Novo
  478. Padre João Carlos Perini Padre Cícero e Lampião  (plaquete)  12,00 Novo
  479. Padre Neri Feitosa Eu Defendo o Padre Cícero1982 117 pág. 23,00 Bom estado
  480. Patativa do Assaré Digo e Não me arrependo  20,00 Bom estado
  481. Patativa do Assaré Cante Lá Que Eu Canto Cá    2002 355 pág. 40,00 Bom estado
  482. Paulo Dantas Capitão Jagunço  23,00 Bom estado
  483. Paulo Dantas Sertão do Boi Santo1968 143 pág.  20,00 Capa envelhecida
  484. Paulo Dantas Estórias e Lendas do norte e Nordeste 288 pág.  25,00 Capa dura/envelhecido
  485. Paulo Elpídio de Menezes O Crato de Meu Tempo1985 126 pag. 25,00 Bom estado
  486. Paulo Emílio M. Martins Reinvenção do Sertão. Estratégia Organizacional de Canudos 2001 260 pag. 30,00 Ótimo estado
  487. Paulo Medeiros Gastão O Cangaço e a Imprensa 2012 80 pág. 23,00 Novo
  488. Paulo Medeiros Gastão Lampião de A a Z    2011 75 pág. 15,00 Novo
  489. Paulo Medeiros Gastão 1938 Angico 2012 144 pág. 30,00 Novo
  490. Paulo Medeiros Gastão Quem é Quem no Cangaço 2013  140 pág. 33,00 Novo
  491. Paulo Machado Padre Cícero - Entre os Rumores e a Verdade 496 pág. 55,00 Novo
  492. Paulo Moura Lampião: A Trajetória de Um Rei Sem Castelo 150 pág. 35,00 Novo
  493. Pedro Baptista Cangaceiros do Nordeste 2011 279 pág. 37,00 Novo
  494. Pedro Calmon História do  Brasil 7  Volumes.  120,00 Ótimo estado
  495. Pedro Ferreira de Aquino O Santo do Meu Nordeste Pe. Cícero R. Batista 378 pag. 35,00 Ótimo estado
  496. Pedro Lins de Oliveira Retalhos de Vida, Um Pouco de Cajazeiras-PB 203 pag. 30,00 Bom estado
  497. Pedro Nunes Filho Guerreiro Togado – 2011 -  Edição de Luxo 516 pág. 100,00 Novo
  498. Pedro Nunes Filho Mundo Sertão-Terra Não revelada   2011 233 pág. 45,00 Novo
  499. Péricles Vitório Serafim Brejos e Carrascais 339 pág. 40,00 Bom estado
  500. Pery Lamartine Aeroplano - Vaqueiros- Velhas Oiticicas 2004 151 pág. 25,00 Ótimo estado
  501. Pery Lamartine Coronéis do Seridó 2005 177 pag. 25,00 Novo
  502. Pinto do Aguiar O Drama da Seca1983 180 pág. 30,00 Bom estado
  503. Piragibe de Lucena  Lampião, Lendas e Fatos 1995 86 pág. 35,00 Bom estado
  504. Plácido Cidade Nuvens Patativa do Assaré, Um Clássico 2002 156 pag. 25,00 Bom estado
  505. Plácido Cidade Nuvens Patativa e o Universo Fascinante do Sertão 1995 261 pag. 30,00 Bom estado
  506. Pontes da Silva e outros Poder e Política na Paraíba, Uma Análise das Lideranças(1960-1990) 308 pág. 25,00 Bom estado/envelhecido
  507. Prof. Almir Nogueira da Costa Homenageando o Sertão 145 pag.  25,00 Ótimo estado
  508. R. Batista Aragão História do Ceará  (5 vol).  200,00 Bom estado
  509. Raimundo Araújo Juazeiro Anedótico 2002 149 pág. 25,00 Novo
  510. Raimundo Araújo Juazeiro do Padre Cícero (1914-1994)  1994 143 Pag. 25,00 Bom estado/falta a parte superior da folha de rosto
  511. Raimundo de Oliveira Borges O coronel Belém do Crato 1998 106 pág. 30,00 Bom estado, autografado
  512. Raimundo Girão e Antônio Martins Filho O Ceará – Projeto Obras Raras – Fac-símile da Ed. De 1939  - 2011 488 pág. 100,00 Ótimo estado
  513. Raimundo Nonato A Sombra dos Tamarindos 1979 208 pág. 20,00 Ótimo estado
  514. Raimundo Nonato Calepino Potiguar Gíria Rio-grandense  30,00 Bom estado
  515. Raimundo Nonato História Social da Abolição em Mossoró 1983 303 pag. 20,00 Bom estado
  516. Raimundo Nonato  Jesuíno Brilhante - O Cangaceiro Romântico  40,00 Ótimo estado
  517. Raimundo Nonato Memórias de Um Retirante 172 pag.  20,00 Ótimo estado
  518. Raimundo Nonato Minhas Memórias do Oeste potiguar – As Andanças de Um Cambiteiro de Cana 1991 127 pág. 20,00 Bom estado
  519. Raimundo Nonato Os Revoltosos em São Miguel 136 pág. 32,00 Novo
  520. Raimundo Nonato Lampião em Mossoró 2012 325 pág. 45,00 Novo
  521. Raimundo Nonato Serra do Martins 2009 pág. 30,00 Bom estado/capa dura
  522. Raimundo Soares de Brito Páginas Arrancadas 170 pag.   25,00 Novo
  523. Raimundo Soares de Brito Estudos de História do Oeste Potiguar 2001 140 pág. 20,00 Ótimo estado
  524. Raimundo Suassuna Uma Estirpe Sertaneja, Genealogia da Família Suassuna 1993 252 pág. 50,00 Bom estado
  525. Ralph Della Cava Milagre em Joaseiro 2ª Ed. 1985 329 pág. 48,00 Ótimo estado
  526. Ranulfo Prata Lampião  28,00 Ótimo estado
  527. Ranulfo Prata Lampião,  Ed. Fac-similar  2010 239 pág. 35,00 Novo
  528. Ranulpho Prata Lampião  -  1ª Edição   1934 211 pág. 130,00 Capa dura/envelhecido
  529. Raquel de Queiroz Lampeão, a Beata Maria do Egito- Teatro 1995 60 pag. 20,00 Ótimo estado
  530. Raul Fernandes A Marcha de Lampião, Assalto a Mossoró.  55,00 Novo.
  531. Raul Fernandes Lampião na Fazenda Veneza 23 pág. 15,00 Novo
  532. Régis Lopes Padre Cícero  18,00 Novo (livro de bolso)
  533. Reinaldo Azevedo Cangaço, Tatuado no Traço  22x31cm  2012 (um trabalho de arte) 131 pág. 68,00 Novo/encadernação de luxo.
  534. Rejane Vasconcelos A Carvalho O Estado, a Terra e o Coronelismo Nordestinos 94 pag. 20,00 Ótimo estado
  535. Rejane Vasconselos A. Carvalho Seca, Religião e Política no Sertão 130 pag.  20,00  Ótimo estado
  536. Renato Mocellin Canudos: Fanatismo ou Luta pela Terra?  15,00 Ótimo estado
  537. Renato Phaelante Cangaço, Um Tema na Discografia da MPB 97 pág. 40,00 Novo
  538. Renato Sólon Verve Cearense(De Quintino Cunha e outros)1969 216 pág. 30,00 Bom estado/envelhecido
  539. Ricardo Albuquerque (org.) Iconografia do Cangaço – (Livro Álbum) Inclui Filme com Cenas Inéditas de Lampião e Seu Bando (Contém DVD) 215 pág. 115,00 Novo
  540. Robert B. Cunningham Graham Um Místico Brasileiro: Vida e Milagres de Antônio Conselheiro 2002 213 pág.  23,00 Ótimo estado
  541. Roberto Gaspar Bárbara Alencar- A Guerreira do Brasil 2001 183 pag. 35,00 Ótimo estado
  542. Rodrigues de Carvalho Serrote Preto 1974  80,00 Bom estado
  543. Rodrigues de Carvalho Lampião e a Sociologia do Cangaço 379 pág. 90,00 Bom estado, manchas no corte
  544. Ronald Daus O Ciclo Épico dos Cangaceiros na poesia popular do Nordeste 1982 161 pág. 30,00 Bom estado.envelhecido
  545. Rosa Bezerra A Representação Social do Cangaço  50,00 Novo
  546. Rubinho Regionalismo Sertanejo 110 pág. 18,00 Novo
  547. Rui Facó Cangaceiros e Fanáticos  2012  40,00 Novo.
  548. Sabiniano Maia Sapé-PB, Sua história, Suas Memórias  25,00 Bom estado
  549. Serafim Leite. S.I. Artes e Ofícios dos Jesuítas no Brasil 325 pág. 60,00 Novo
  550. Sérgio Augusto S. Dantas Antônio Silvino: O Cangaceiro, o Homem, o Mito 2ª Edição  2012 314 pág. 45,00 Novo 
  551. Sérgio L. B. Trindade e Geraldo J. de Albuquerque Subsídios para o Estudo da História do Rio Grande do Norte  2005 176 pag. 35,00 Novo
  552. Severino Barbosa Antônio Silvino – O Rifle de ouro 100 pág. 70,00 Ótimo estado/a pág.99 tem um pequeno dano S/ prejudicar o conteúdo.
  553. Severino Coelho Viana A Vida do Cel. Arruda, Cangaceirismo e Coluna Prestes 1989 142 pág. 45,00 Bom estado
  554. Severino Vicente Silva A Igreja e a Questão Agrária no Nordeste  25,00 Ótimo estado
  555. Simone de Souza e Frederico de C. Nevea ( Org.) Seca  25,00 Novo
  556. Sousa Neto José Inácio do Barro e o Cangaço(Major Zé Inácio do Barro) 2011 223 pág. 40,00 Novo
  557. Souza Barros Aspectos Sociológicos da Vida Rural Brasileira 78 pág. 18,00 Bom estado
  558. Souza Barros Messianismo e Violência de Massa no Brasil 1986 109 pág. 20,00 Bom estado
  559. Suzana Cavani Rosas (Org.) Os Sertões: Espaços, tempos, movimentos 2010 234 pág. 30,00 Ótimo estado c/ carimbo
  560. A. Tavares de Lira Notas Históricas Sobre o Rio Grande do Norte 1991 293 pág. 35,00 Bom estado
  561. Ten. Henrique Estrada de Macedo Soares A Guerra de Canudos 1985 235 pág. 50,00 Bom estado
  562. Ten. João Gomes de Lira  Lampião: Memórias de um Soldado de Volante  3ª Ed. 2013 – Lançamento em 13.07.2013 2 vol. 700 pág. 115,00 Novo
  563. Tércio Rosado Alguns Problemas Nordestinos 1992 104 pág. 15,00 Ótimo estado
  564. Therezinha S. Guimarães e outro O Padre Cícero por Ele Mesmo  25,00 Bom estado
  565. Thomaz Pompeu Sobrinho História das Secas (Sec. XX) 1982  (Clássico) 539 pág. 38,00 Bom estado
  566. Thomaz Pompeu Sobrinho A Grandeza Índia do Ceará 2010 307 pág. 37,00 Novo
  567. Tomé Cabral Patuá de Recordações  1978 382 pág. 35,00 Bom estado
  568. Tristão de Alencar Araripe Expedições Militares Contra Canudos, Seu Aspecto Marcial 1985 230 pág. 30,00 Envelhecido
  569. Tristão de Alencar Araripe História da província do Ceará  1958 174 pág. 50,00  Bom estado amarelado pelo tempo, falta a parte inferior da capa
  570. Ulysses Lins Três Ribeiras 1971  35,00 Bom estado
  571. Ulysses Lins Um Sertanejo e o Sertão- Moxotó Brabo- Três Ribeiras(3 em 1) 40,00 Ótimo estado
  572. Valdir Uchoa Ribeiro Jaguaribe minha Terra – A Seca de 1877 369 pág. 40,00 Ótimo estado
  573. Vera Ferreira e Antônio A. C. de Araújo De Virgolino a Lampião  2009 319 pág. 55,00 Novo
  574. Vera Ferreira e Antônio Amaury Espinho do Quipá, Lampião a História 1996 200 pág. 55,00 Bom estado
  575. Vera Ferreira e Germana Gonçalves (organização) Maria Bonita do Capitão (centenário de Maria Bonita)  Estojo de luxo 327 pág. 150,00 Novo
  576. Vera Odísio Siqueira De Dom Bosco a Padre Cícero, A saga do Escultor Agostinho B. Odísio 352 pág. 50,00 Novo
  577. Vicente Nascimento Sertão Sertanejo 2008 204 pág. 30,00 Bom estado
  578. Victor Nunes Leal Coronelismo, Enxada e Voto 440 pág. 55,00 Ótimo estado
  579. Vilma Maciel O Pacto dos Coronéis (Cariri 1911) 25,00 Novo
  580. Vilma Maciel Os Fuzilados do Leitão  2ª Edição 2012  88 pág. 23,00 Novo 
  581. Vilma Maciel Lampião: Luta, Sangue e Coragem 2012 (Romance Histórico)  188 pág. 33,00 Novo 
  582. Vingt-um Rosado O Estadista José Américo de Almeida, Um Amigo de Mossoró 2000 75 pág. 10,00 Bom estado
  583. Vingt-um Rosado Delmiro Gouveia e Mossoró 2005 123 pág. 23,00 Ótimo estado
  584. Vingt-un Rosado Euclides da Cunha e Mossoró 2005 83 pag. 20,00 Novo
  585. Vingt-un Rosado Dois Temas de História Regional: Sesmaria e Abolição 1981 93 pág. 20,00 Bom estado
  586. Vingt-un Rosado  Mossoró   2006 240 pág. 30,00 Ótimo estado c/ carimbo
  587. Virgílio Maia Rudes Brasões: Ferro e Fogo das Marcas Avoengas (Ferro de ferrar gado das freguesias do Estado do Ceará) 234 pág. 90,00 Capa dura. Semi-novo
  588. Visual Door LTDA Homens de Expressão do Cariri 152 pág. 35,00 Bom estado/1pág. Solta.
  589. Viviane Gomes de Ceballos e outros (Org.) Nordestes e Nordestinidades: Histórias, Representações e Religiosidades (Anais do II Congresso Nacional do Cangaço, em Cajazeiras, de 2011) 119 pág. 25,00 Novo
  590. Voltaire Wolney Aires (neto do Cel. Abilio Wolney) Abílio Wolney, Suas Glórias, Suas Dores: A Saga de Jagunços e Coronéis do Sertão 243 pág. 40,00 Novo
  591. Waldemar Alves da Silva Júnior O coronelismo em Salgueiro(1920-1945)   2008 277 pág. 50,00 Capa dura /ótimo estado com carimbo
  592. Walnice Nogueira Galvão Euclides da Cunha- Militante da República 2010 80 pag. 12,00 Novo- Livro de Bolso
  593. Walnice Nogueira Galvão Império do Belo Monte- Vida e Morte de Canudos 127 pag. 30,00 Ótimo estad
  594. Walnice Nogueira Galvão (Org.) Euclidianos e Conselheiristas, Um Quarteto de Notáveis (Antônio Houaiss, Franklin de Oliveira, José Calasans e Oswaldo Galotti) 2009 117 pág. 35,00 Novo
  595. Walter Barbosa Padre Cícero, Pessoas, Fatos e Fotos 166 pág. 50,00 Novo
  596. Wellington Aguiar João Pessoa, o Reformador  2005 374 pag. 25,00 Novo
  597. Wilson Seixas O Velho Arraial de Piranhas (coleção com 3 vols.)  50,00 Bom estado, envelhecido.
  598. Wilson Seixas O Velho Arraial de Piranhas (Volume único)  70,00 Ótimo estado
  599. Wilson Seixas Viagem Através da Paraíba 1985 193 pág. 30,00 Bom estado/envelhecido
  600. Ze Praxedi Meu Seridó1979 120 pág. 25,00 Bom estado
  601. Zé Praxedi, o Poeta Vaqueiro Luiz Gonzaga e outras Poesias 2012 (Livro raro edição fac-similar) 1ª Ed.  1952 raro. 1ª Ed. 1 85 Pág. 25,00 Novo
  602. Zenon Gomes da Costa Lampião e Seus Comparsas: Como tudo aconteceu Memórias de um militar 2001 67 pág. 55,00 Ótimo estado
  603. Zilma Ferreira Pinto A Saga dos Cristão Novos na Paraíba 2006 385 pág. 35,00 Novo
     
Segue a relação de alguns títulos da “Coleção Mossoroense” Série “B” – Que são Plaquetas ou Folhetos, semelhante a uma apostila. São publicações de Palestras, Artigos, Pequenas Biografias, Crônicas, pequenos registros de Fatos históricos, entre outros.

  1. -  Depoimento Sobre Lampião em Mossoró – Laire Rosado - 13 pag. Ótimo estado – 4,00
  2. -  Jesuíno Brilhante  - Câmara Cascudo – 23 pag. – Ótimo estado – 8,00
  3. -  Jararaca – Câmara Cascudo – 20 pag. Ótimo estado – 8,00
  4. -  A Versão Oficial Sobre Lampião – José Romero A. Cardoso – 12 pag. Ótimo estado – 8,00
  5. -  Viajando o Sertão-(RN) Câmara Cascudo – 61 pag. Ótimo estado – 10,00
  6. -  Quando se Falou bem de Pombal-PB – Crônicas- Gerdivan, Verneck Abrantes, José Tavares, José A. Cardoso- 49 pag. 6,00
  7. -  Um Município da Paraíba – AREIA – Francisco Tancredo Torres – 18 pag. Ótimo estado – 5,00
  8. -  Cangaço e Coiteiros – Oswaldo Lamartine – 7 pag. Ótimo estado – 4,00. OBS. Pequeno conteúdo para título tão importante.
  9. -  Breve Histórico do Cangaço e das Secas no RN. Gutenberg Costa – 37 pag. Ótimo estado – 12,00
  10. -  Bibliografia Sobre Cangaço Cangaceirismo no Boletim Bibliográfico e na Coleção Mossoroense – Isaura Ester F. R Rolim – 10 pag. 4,00
  11. -  O Frustado ataque de Lampião a Mossoró- Diógenes Magalhães – 8 pag. Ótimo estado – 4,00
  12. -  O Mito de Lampião – Visão Histórica e Literária – Kécia B de Figueiredo e Terezinha H M Costa – 48 pag. Ótimo estado – 10,00
  13. -  Pe. Longino – Um Tema Proibido – Câmara Cascudo – ótimo estado – 3,00
  14. -  Três Crônicas Sobre o Treze de Junho (1927) Vingt-um Rosado - 11 pag.– Bom estado – 5,00
  15. -  Ataque de Lampião a Mossoró Através da Literatura de Cordel – Veríssimo de melo – 4,00
  16. -  O Nordeste Brasileiro- Mitos e Contradições – Maurício de oliveira – ,4,00
  17. -  Visitando o Sertão – Vingt-un Rosado – 7 pág. 4,00 .
            
 Obs. Importante 
- O frete, para todo Brasil,  já está incluído no preço dos livros
- Como estou sempre comprando e vendendo livros, os preços podem variar, para mais ou para menos, a qualquer momento.  
- Os livros ficarão reservados, por no máximo, uma semana
- Confirme o estoque antes de fazer o depósito.
- O pedido pode ser feito por E-mail fplima1956@gmail.com ou pelos Tel.    (83) 9911 - 8286(TIM)   (83) 8706 - 2819(OI)
                      

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Teatro

LAMPIÃO, A VÍRGULA NA HISTÓRIA DO SERTÃO

Anúncio jornalistico sobre a peça "Lampião", de Raquel de Queiroz, com o ator Othon Bastos
Anúncio jornalístico sobre a peça “Lampião”, de Raquel de Queiroz, com o ator Othon Bastos. Estes atores trabalharam na montagem desta peça realizada no Rio de Janeiro.

Rachel de Queiroz (1910-2003) nasceu em Fortaleza – CE e desde cedo conheceu as agruras da seca (com destaque para a grande seca de 1915, a qual inspirou sua obra “O quinze”). O sertão lhe era familiar, seus habitantes e seus costumes eram uma constante na obra de Rachel. Ela teve intensa atuação política, foi membro do Partido Comunista Brasileiro e chegou a ser presa em 1937 por suas ideias de esquerda. Foi também a primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Letras, em 1977 e uma das mais importantes romancistas do movimento regionalista de 1930, iniciado com a publicação de “A Bagaceira” de José Américo de Almeida em 1928.

A peça Lampião marca a estreia de Rachel no teatro, é também um exercício de jornalismo, pois Rachel baseou sua criação artística em uma pesquisa investigativa acerca da vida da personagem, seus costumes, suas façanhas, seus companheiros. Apesar de ser fiel à história verídica, a peça não se resume a um relato histórico da vida de Lampião, preso a uma fria narrativa dos fatos, mas é repleta de ação e emoção.

A transição momentânea de Queiroz da literatura para o teatro deu-se num contexto de carência de bons escritores das artes cênicas. A busca por talentos em outras áreas da criação artística tinha a intenção de fomentar o crescimento do teatro do Brasil na época. Uma prática um tanto criticada, pois ao creditar a um romancista uma produção teatral, há o grande risco de perder-se a noção de cenografia. Sobre essa questão, Décio de Almeida Prado (2001, p.93) afirma:
A maneira à primeira vista mais fácil de remediar a pobreza do nosso teatro será a de trazer alguns escritores para o teatro. [...] Com isso teríamos o sangue generoso do romance e da nossa mais alta poesia aquecendo as veias algo atrofiadas do teatro [...] a fórmula é tão falsa quanto atraente: não adianta a qualidade literária, desacompanhada de um mínimo de qualidades teatrais.

Lampião estreou em 1954 nos teatros Municipal do Rio de Janeiro e Leopoldo Fróes em São Paulo. Apesar das críticas, recebeu o prêmio Saci pela montagem paulista, concedido pelo jornal O Estado de São Paulo. Com cenários de Aldemir Martins (que ainda não estavam totalmente prontos no dia da estreia) e atuação de Sérgio Cardoso como Lampião, contando ainda com participações de Jorge Chaia, Vicente Silvestre e Carlos Zara, a peça foi uma aventura de banditismo, lutas e muita ação.

A cearense Raquel de Queiroz
A cearense Rachel de Queiroz

A trama da peça decorre em meio ao apogeu do cangaço, movimento surgido no Nordeste brasileiro, no início do séc. XX. O cangaceiro era, normalmente, classificado como “bandido”, pois os assim chamados “bandos” seguiam suas próprias normas, ignorando as leis estabelecidas pelo Estado. Parte dessa marginalização do cangaceiro deu-se porque este era um empecilho aos desmandos dos grandes fazendeiros, ou “coronéis” da época, que exerciam grande influência junto ao governo. Na verdade, os primeiros bandos do cangaço eram forças armadas montadas por um “coronel”, para exercer o poder, que se libertaram do jugo do seu mandante.

O sertão de Queiroz, seus encantos e críticas

A autora de Lampião recria em sua obra um ambiente já muito explorado pela literatura da época. O sertão nordestino foi cenário de muitas obras da segunda fase do modernismo brasileiro, também conhecido como período do “Regionalismo”, ou “Romance regionalista de 1930”. Os autores dessa fase uniram a análise sociológica à psicológica, buscando a verossimilhança da narração com a determinação do tempo e do espaço. Por relacionar a linguagem narrativa à realidade, foram chamados de “neorrealistas”.

Queiroz, em particular, retrata o sertão à sua própria maneira, verídica e cativante. Os diálogos de Lampião são sempre arrebatadores, “não há ninguém, no teatro brasileiro, que dialogue melhor do que Rachel de Queiroz” (PRADO, 2001, p. 94), isso porque ela exprime toda a variedade de sintaxe e riqueza de vocabulário presentes na fala das personagens.

Esta cena da peça remete a prisão de dois representantes comerciais no interior de Pernambuco. Fato que ocorreu em 1926, quando o bando de Lampião prendeu dois representantes, de duas grandes empresas, com sede em Recife. Esta prisão culminou indiretamente com o combate da Serra Grande, na zona rural de Serra Talhada, o maior combate da história do cangaço
Esta cena da peça remete a prisão de dois representantes comerciais no interior de Pernambuco. Este momento é baseado em um fato real que ocorreu em 1926, quando o bando de Lampião sequestrou dois representantes, de duas grandes empresas. Este sequestro culminou indiretamente no combate da Serra Grande, na zona rural de Serra Talhada. Este foi o maior combate da história do cangaço.

Por outro lado, as paisagens de caatinga não são facilmente adaptadas ao palco, as cenas de corridas, lutas e perseguições geralmente perdiam seu teor magnífico quando encenadas, eram reduzidas em seu potencial espetacular pelos limites do tablado. Dentre as críticas recebidas por Lampião, está a de que há certa falha quanto à manutenção da unidade espaço-temporal na peça. A trama se desenvolve sem preparação e sem continuidade, formando um conjunto de atos pouco articulados entre si. O drama simplesmente acontece, fatos seguem-se uns aos outros sem que haja conexão plausível entre eles.

Em Lampião, Rachel busca mostrar as personagens características da região do interior nordestino, seus loucos, fanáticos religiosos e bandidos. A questão do fanatismo religioso é mais aparente em A Beata Maria do Egito (QUEIROZ, 1958), montada no Teatro Serrador, no Rio de Janeiro, tendo no papel-título a atriz Glauce Rocha. A autora mostra a devoção popular aos líderes religiosos da época como Padre Cícero e Antônio Conselheiro. Na trama, em 1914, a beata Maria do Egito, recém-chegada à delegacia de uma pequena cidade do Ceará, recruta populares para se juntarem à rebelião que Padre Cícero lidera em Juazeiro.

O retrato artístico de um cangaceiro
A trama de Lampião transcorre basicamente no sertão Nordestino, é difícil especificar uma região, pois o bando de cangaceiros é nômade e vive em acampamentos no meio da caatinga. Sabe-se, porém, que Lampião realizou suas pilhagens majoritariamente nos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Alagoas.

Cangaceiro Sabino, interpretado pelo ator Roberval Rocha, despoja um inimigo morto.
Cangaceiro Sabino, interpretado pelo ator Edgar Ribeiro, despoja um inimigo morto.

Virgolino Ferreira da Silva, ou Lampião, nasceu em 1898 no Vale do Pajeú, em Pernambuco. Seu nome remete à palavra “vírgula”, parada, talvez uma profecia de que o sertão iria parar de admiração, indignação e medo por seus atos. Lampião teve uma infância comum a todas as crianças de sua classe social, aprendeu a ler e escrever, mas logo foi trabalhar ajudando seu pai, carregando água, enchiqueirando bodes, dando comida e água aos animais. Mais tarde passou aos trabalhos de gente grande: cultivava algodão, milho, feijão de corda, cuidava da criação de gado. Posteriormente tornou-se vaqueiro e feirante.

Lampião viveu num período instável, de transições de séculos (do XIX para o XX), de amadurecimento da implantação da república, das transformações ocorridas no plano estético da arte com o advento das vanguardas europeias e, posteriormente, do modernismo brasileiro.
Sua entrada para o cangaço foi quase inevitável, depois de ter o pai assassinado por questões de briga familiar com seu vizinho José Saturnino, Virgulino e seus irmãos Antônio, Ezequiel e Livino Ferreira entraram para o bando de Sebastião Pereira, também conhecido como Sinhô Pereira. Em entrevista a Otacílio Macêdo para O Ceará, transcrita no Diário oficial, Recife, 1995, p. 9, Lampião disse:
Chamo-me Virgulino Ferreira da Silva [...] Meu pai, por ser constantemente perseguido pela família Nogueira e em especial por Zé Saturnino, nossos vizinhos, resolveu retirar-se para o município de Águas Brancas, no estado de Alagoas. Nem por isso cessou a perseguição. Em Águas Brancas, foi meu pai, José Ferreira, barbaramente assassinado pelos Nogueira e Saturnino, no ano de 1917. Não confiando na ação da justiça pública, por que os assassinos contavam com a escandalosa proteção dos grandes, resolvi fazer justiça por minha conta própria [...]

Grupo de cangaceiros jogando cartas, uma atividade bem comum nos momentos de descanso.
Grupo de cangaceiros jogando cartas. Uma atividade bem comum nos momentos de descanso dos verdadeiros cangaceiros.

O banditismo foi a forma que os irmãos Ferreira encontraram para exercer sua vingança, “procuraram no bacamarte as leis que decidissem a questão por falta de outras” (BARROSO, 1930, p. 93-94). Em 1922 o comando do bando de sinhô Pereira foi dado a Lampião, então com 24 anos. Doravante, o bando do famigerado cangaceiro só cresceria e atemorizaria as regiões por onde passava. Neste ponto dá-se o início da peça de Rachel de Queiroz.

Na única cena do primeiro quadro são apresentados alguns dos personagens principais, a ação transcorre na casa de Maria Déa e seu esposo, o sapateiro Lauro, em ponta de arruado, à margem do rio São Francisco. Logo nos primeiros momentos Maria conta a seu esposo que o bando de Lampião se aproxima da cidade, deixando-o atemorizado, pois, além do medo normal que essa notícia causaria a qualquer pessoa, Lauro era um tanto covarde, o que causava muito desprezo e até náuseas em Maria.

Insatisfeita com seu casamento e a despeito de ter que cuidar de seus dois filhos, Maria Déa manda um recado a Lampião, dizendo que viesse buscá-la se assim quisesse, para viajar o sertão e entrar para a vida do cangaço junto com ele. Eis que Lampião recebe o recado e chega à porta da casa, juntamente com seu bando, para levar Maria Déa, conforme a vontade da mesma. O bando de cangaceiros é então composto basicamente por Sabino, Antônio Ferreira (irmão de Lampião), Ponto-Fino (Ezequiel, também irmão de Lampião), Moderno (cunhado de Lampião), Corisco (ou Diabo-Louro), Volta Seca, Pai-Velho, Zé Baiano, Azulão, Pernambuco e Arvoredo. Apesar das súplicas de Lauro, Maria Déa ganha o mundo com Lampião e seu bando. Num ato de aparente misericórdia, o chefe dos cangaceiros resolve poupar a vida do pobre sapateiro.

Lampião (a esq.) vem buscar a jovem Maria Déa, interpretada pela atriz Ana Maria (do TEB-Teatro do Estudante do Brasil), ante o desespero do seu marido, o sapateiro Lauro. Na vida real o marido de Maria Déa, que seria conhecida como Maria Bonita, era José Miguel da Silva, sapateiro e conhecido como Zé Neném.
Lampião (a esq.) vem buscar a jovem Maria Déa, interpretada pela atriz Ana Maria
(do TEB-Teatro do Estudante do Brasil), ante o desespero do seu marido, o sapateiro Lauro.
Na vida real o marido de Maria Déa, que seria conhecida como Maria Bonita, era José
Miguel da Silva, sapateiro e conhecido como Zé Neném.

O segundo quadro é composto por duas cenas, a primeira dá-se num acampamento na caatinga, um local não muito bem definido, debaixo de um grande Juazeiro. Dois viajantes são interpelados por Corisco, que desconfia que eles possam ser espiões delatores. À chegada de Lampião ao local, segue-se um diálogo no qual o cangaceiro designa os dois viajantes, o capangeueiro (negociador de diamantes) e o agente de seguros, para levar um recado ao interventor de Recife, uma carta de paz. Antônio Ferreira, Pernambuco, Arvoredo e Azulão os acompanharão até a residência de seu Juventino, em Barreiros, de onde seguirão viagem para Recife. Lampião pretendia cessar as hostilidades com os, por ele chamados, “macacos do governo”, trata então de propor um acordo: ele governaria o sertão a seu modo e o interventor governaria a Zona da Mata e o Litoral.

Na segunda cena deste quadro o mesmo acampamento é o cenário, algumas horas mais tarde. Lampião e Maria Bonita dialogam, ela mostra-se consciente dos riscos desse modo de vida, cita exemplos de Pedra Bonita e Canudos, casos em que o governo superou a resistência e repreendeu as revoltas populares. Lampião, por sua vez, acha essas comparações infelizes, diz que seu padrinho, padre Cícero, o protege e que tem o corpo fechado para mau-olhado. Ele revela o motivo de ter deixado o ex-marido de Maria e seus filhos vivos: para que tenha em quem “desabafar” quando não puder mais aguentar as pressões da vida no cangaço, da paixão por sua mulher, do medo de uma traição. Chegam ao local Azulão, Arvoredo e Pernambuco, contam que em casa de seu Juventino, Antônio Ferreira foi mortalmente baleado acidentalmente. Lampião parece acreditar na história, porém manda os homens deixarem o bando e as armas e sumirem no mundo. Mas assim que eles viram as costas, desarmados, o chefe dos cangaceiros ordena que abram fogo contra os três homens que ele julga responsáveis pela morte de seu irmão.

Representação do casamento de Lampião e Maria Bonita na caatinga.
Representação do casamento de Lampião e Maria Bonita na caatinga, com o seu marido lhe suplicando que retorne ao lar. Da forma como a cena é retratada, nada disso ocorreu.
Mas enfim é teatro!

O terceiro quadro possui apenas uma cena, o cenário é o mesmo, mas foi aperfeiçoado na tentativa de fazê-lo mais aconchegante. Volta-Seca foi fazer compra na cidade mais próxima e encontra um jornal no qual saiu a repercussão da carta enviada por Lampião para oferecer paz. Na primeira página, a foto do cangaceiro, uma matéria sobre a audácia dele em achar que pode tratar o interventor de potência a potência e a promessa do governo de represália a esse “insulto”. Sabino questiona a tentativa de paz de seu líder, diz que com o governo não tem acordo, que o chefe está esmorecendo, perdendo o vigor e a liderança. Lampião vê em Sabino uma ameaça, acusa-o de subverter seu irmão, Ezequiel, e, sem hesitar, fuzila-o com três balas à queima-roupa.

Ainda no mesmo cenário de acampamento, porém desmantelado, desenrola-se a primeira cena do quarto quadro, os cangaceiros e Maria Bonita aparecem em cena feridos e exaustos. O cerco do governo estreita-se sobre o rei do cangaço, e ele sente as consequências de querer ser um “estado dentro de um estado”. Desgastados, os três últimos homens de Lampião, Ponto-Fino, Pai-Velho e Moderno procuram água e mantimentos, já escassos. Ponto-Fino vai à busca de lenha, Moderno de água. Após um breve intervalo ouve-se um tiro, Lampião e Pai-Velho correm para averiguar a origem do disparo. Chega Ponto-Fino ao local em que Maria Bonita tinha ficado sozinha. Ele passa a assediá-la, oferecendo-lhe uma hipotética vida de calmaria na cidade de Juazeiro, proclamando que será o chefe do bando e ela será sua mulher. Maria Bonita fica indignada com tais pensamentos de seu cunhado, repreende-o. Chegam Pai-Velho e Lampião, este com uma fúria nos olhos, censura o irmão por ter atirado, justificando que o Sargento Calu está em sua caça e o tiro seria um chamariz.

Ponto-Fino, ou Ezequiel, desafia o irmão, acusando-o de ter mandado matar Antônio Ferreira e questionando a morte de seu outro irmão, Livino, que não aparece na história a não ser por esta citação. Lampião, irado com a ousadia de Ezequiel, desafia-o para uma luta de faca. Segue-se a luta, da qual Lampião sai vencedor. Ponto-Fino fica muito ferido, mas não morre de imediato. Na segunda cena, mesmo cenário, cai a noite, Moderno monta sentinela, na qual é substituído pelo próprio Lampião. Em conversa com Maria, ele tenta justificar o ataque ao irmão, culpando a insolência de Ezequiel. Ela diz que pressente que o castigo está próximo, que o sangue dos inocentes reclama a vingança. Chega ao local Corisco com um pequeno bando de jovens cangaceiros, para se juntar ao Capitão Virgolino e ajudá-lo na sua retirada à grota dos Angicos.

Dez anos depois da montagem carioca da peça "Lampião", o ator Othon Bastos voltaria a interpretar um famoso cangaceiro. Desta vez seria no cinama, atuando como Corisco, no antológico filme "Deus e o diabo na terra do sol", dirigido pelo baiano Glauber Rocha.
Dez anos depois da montagem carioca da peça “Lampião”, o ator Othon Bastos voltaria a interpretar um famoso cangaceiro. Desta vez seria no cinema, atuando como Corisco, no antológico filme “Deus e o diabo na terra do sol”, dirigido pelo baiano Glauber Rocha.

No quinto e último quadro o cenário é a Grota dos Angicos, segundo o próprio capitão, o lugar mais seguro de que ele dispunha. Lampião e Maria Bonita dialogam aos primeiros sinais da luz do dia. A mulher ambiciona deixar a vida de banditismo, ir para um lugar longínquo onde jamais se tenha ouvido falar em Lampião, este, por sua vez, afirma que seria como um atestado de covardia, coisa que ele não possuía. De repente, se ouve tiros, o refúgio derradeiro de Lampião é descoberto, ele foi traído. Ele e Maria Bonita são metralhados à morte, juntamente com os outros cabras que ainda dormiam. O fim da história de Lampião coincidiu com a decadência do cangaço. A entrada para a história, infelizmente, contou com a exposição de partes de seu corpo e dos homens de seu bando em praça pública. “As famílias dos cangaceiros do bando de Lampião, após uma longa batalha jurídica, puderam dar um enterro digno a seus parentes, vítimas da sociedade da época” (DIÁRIO DE NOTÍCIAS, 1969).

Lampião por Queiroz
A obra Lampião assemelha-se a um quadro expressionista da figura de Lampião. Em vez de imprimir, de fora para dentro, no texto a imagem que tinha do cangaceiro, Rachel exprimiu, com suas palavras, o sentimento que lhe despertava a história de vida do homem Virgolino. Porém, há algo a ser criticado na peça, a escassez de tempo que é dado ao público para que participe emocionalmente da ação. Prado (2001, p.94) afirma que:
De repente um cangaceiro qualquer, mal delineado psicologicamente, desconhecido da plateia, vem ao primeiro plano, revolta-se e Lampião o mata, antes que tivéssemos tempo de tomar pé no assunto [...] de participar emocionalmente da revolta e do crime.

Mas isso não tira o mérito da grande Jornalista, cronista, romancista e dramaturga que foi Rachel de Queiroz, nem de sua peça Lampião. O estilo da autora é inconfundível. O Lampião de Queiroz em muito se assemelha ao imperador do sertão que se conhece hoje. Apesar de seus atos violentos, tinha também um lado humano e generoso. Ao Diário Oficial, 1995, p.9, Lampião revelou:
Tenho cometido violências e depredações vingando-me dos que me perseguem e em represália a inimigos. Costumo, porém, respeitar as famílias, por mais humildes que sejam, e quando sucede algum do meu grupo desrespeitar uma mulher, castigo severamente.

Ao mesmo tempo em que roubava e matava, dava também aos pobres, chegou a distribuir mais de um conto de réis com o povo do Juazeiro. Era desconfiado, pois tinha medo de traição por parte dos seus. “Lampião suspeitava de todos os alimentos que lhe entregavam e fazia com que fossem experimentados [...] examinava com cuidado as garrafas” (GRUNSPAN-JASMIN, 2006). Católico e devoto a padre Cícero. Lampião certa vez disse (Diário Oficial, 1995, p. 9):

Sempre respeitei e continuo a respeitar o estado do Ceará, porque aqui não tenho inimigos, nunca me fizeram mal, e além disso é o estado do padre Cícero. Como deve saber, tenho a maior veneração por esse santo sacerdote, porque é o protetor dos humildes e infelizes
O homem Virgolino ou capitão Lampião não poderia se queixar da falta de menções ao seu nome, muitos foram os contos, livros, as músicas e cordéis que contaram sua história. “Era brabo, Virgolino Lampião, mas era, pra quê negar, das fibras do coração, o mais perfeito retrato, das caatingas do sertão” (Literatura de Cordel). O rei dos cangaceiros é mais uma vez retratado nessa brilhante obra de Queiroz, dessa vez com a fibra e a força características dos sertanejos.

Publicado originalmente em – http://artigos.netsaber.com.br/resumo_artigo_19497/artigo_sobre_lampi%C3%83o,_a_v%C3%8Drgula_na_hist%C3%93ria_do_sert%C3%83o

Pesquei no Tok de História
 
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Falando nisso...
 
O Prêmio Bibi Ferreira, Edição 2012/2013 foi para:
Melhor Musical Brasileiro | "Lampião e Lancelote"
Melhor Figurino | Marcio Vinicius - "Lampião e Lancelote"
Melhor Ator Revelação em Musicais | Daniel Infantini - "Lampião e Lancelote"
 
 
Foto: João Caldas
 
O encontro entre o cangaceiro nordestino e um dos cavaleiros medievais da Távola Redonda do Rei Artur se transforma em um duelo neste musical adaptado por Braulio Tavares do livro de Fernando Vilela. Lampião (Daniel Infantini) e Lancelote (Leonardo Miggiorin) disputam quem faz o melhor repente. A trilha sonora foi composta por Zeca Baleiro. Com Cássio Scapin, Luciana Carnieli, Vanessa Prieto, Ale Pessoa e Tarifa de Souza, além dos músicos Bruno Menegatti e Ana Rodrigues.
 
 
 
Informou: Sociedade do Cangaço